CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

RESIGNAÇÃO



Dobrei meus joelhos cansados para ver melhor

 o ser que queria prosseguir.

Baixei-me ao seu nível, tão baixo!

Ser  tão pequeno!

Não se preocupava em mostrar-me

o peso do mundo sobre suas costas.

Não! Não se preocupou com a minha presença!

E eu sou grande! Deveria ter cessado os passos!

Nem parou para pensar no que fazer:

desviou-se a “ sem graça de uma figa”!

Como se eu, com os meus joelhos cansados e dobrados,

não existisse ali!

Hum... ser superior...

Seguiu adiante  com o alimento nas costas

e adentrou o formigueiro.

Atrevida! Ignorou-me!

 

Rita Lavoyer

3 comentários:

Jorge Sader Filho disse...

Uma formiguinha simpática, sem dúvida!
Feliz Natal, Rita!

Abraço,
Jorge

Célia Rangel disse...

É Rita... resignar-se, apesar de... necessita de muita doação e perdão!
Bjs. e Tudo Feliz pra você!
Célia.

HAMILTON BRITO... disse...

Resignaçao.....sou de uma geraçao que nunca aceitou este vocábulo.
Por sermos assim, protagonizamos a melhor época da humanidade, a que mais mudanças de comportamento efetuou.Sou dos anos dourados, nos quais a resignação nao era aceita.Pusemos pra quebrar.