CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.


domingo, 19 de junho de 2016

PROTEGENDO NOSSA REBELDIA

Daí porque eu não posso parar de conviver com os jovens. Podendo, assistam ao filme "Edukators", de Hans Weingartner.


terça-feira, 7 de junho de 2016

SOBRE MEUS ANOS-LUZ


O SER PERFEITO

                             

                A pessoa não nasce ídolo. Ela torna-se ídolo pelos seus feitos. Conquista legiões, vira rei, deus, imortal.
            Há, dentre a multidão de ídolos, um superídolo, e é ele o destaque nestas minhas singelas linhas.

            Sensível, ele é um extra-humano.    Dispensa seguranças, pois sabe que é respeitado por todas as classes. O que ele tem são seguidores.  Nem se importa com o prestígio que conquistou e com o que mais vier a conquistar. Ele é gente antes de tudo. 

           Superou obstáculos como um bom competidor supera, fez de suas conquistas pódios para outros competidores. Reparte o que ganha porque conhece a necessidade do outro, por ter sido exatamente a necessidade o que mais lhe sobrou na infância.  Fez do altruísmo a carreira da sua alma; não revela à sua mão esquerda o que faz a sua direita, pois permanece vivo para plantar, colher e repartir. “Aquele que não vive para servir, não serve para viver”  está no bojo de sua filosofia.

           Conseguiu desprender-se das posses do ouro, repudia a aquisição de dinheiro fácil e prega que a distribuição da produção deve ser igualitária. Para garantir o poder da coletividade, e que ela viva de forma cívica, planeja desdobrar-se e unir meios que combatam todos os tipos de guerras, porque sua terra, sua gente e a vida dela são as mais belas e as mais queridas. Tendo conseguido o posto não se importará em deixá-lo, contanto que tudo se mantenha em ordem e progresso após sua saída.

          Porta-se varonilmente em todos os momentos difíceis. Suportou e suporta o peso das injustiças e traz em si os aprendizados que conquistou com o tempo – implacável dominador de civilizações e homens – de quando fora entregue a juízes ferozes.                     

            Considera-se instrumento das Mãos do Divino Senhor, e se peca por sua deficiência humana, não tarda em tornar pública sua fraqueza a tempo de se  corrigir perante sua legião de seguidores, provando que seu heroísmo é sustentado pela humildade e educação que recebeu no seio da família.  É pessoa bondosa, confiante e acolhedora  dos excluídos; tenta fugir  da ignorância por saber  solicitada  por muitos. E pelo povo, tornou-se operário oculto nas oficinas da vida; passa dias e noites na labuta, planejando em benefício dos que sofreram todos os tipos de furtos, porque é o mais pobre o sangue que lhe corre nas veias.

            Imaginativo e entusiasta, não  nega o esforço braçal em favor do seu próximo.  Para ele não existem tarefas maiores e nem menores, são todas elas artes que dignificam os homens. E é para os homens que este ídolo luta  porque quer implantação de novas leis que nos assistam: os fracos e oprimidos.  

           E será este ídolo ainda mais respeitado pelas leis que implantará e pelos outros feitos que realizará. O herói que alcançará mais evidência pela sua índole  e será mais amado do que já é. A comunidade  será o seu conjunto de serviços, gerando – para ela –  riquezas e experiências, pois distribuirá o estímulo do seu entendimento e de sua colaboração com todos, respeitando de todos  as suas diferenças.

             Ele é um ídolo porque fez e fará do povo o capital mais agraciado  da sua vida.  O ser perfeito. O nome dele é “POLÍTICO EM CAMPANHA”: o semeador benemérito do futuro onde conseguir governar. Ele aparecerá - uns novamente, outros novatos -   nas mídias, com sua sem vergonha logorreia. 

            Como sempre, fico extasiada por ouvir ou ler tanta dignidade sobre uma só pessoa.  De fato, ela é a boa. Ruim sou eu que não acredito e nem voto nela.


Rita Lavoyer