CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


domingo, 23 de julho de 2017

MICROCONTO


Palavra do dia 17/07/2017: aquário

Vovó adormecia a dentadura no aquário do Peixe-Palhaço. 
Ele se acomodava e dormia feliz naquele céu da boca. 
Outro dia, ela inverteu os bagulhos e pôs lá o vibrador ligado. 
Tadinho do Palhaço, morreu com aquele tsunami.

__________________________________________________________________________

Palavra do dia 18/07/2017: moinho

Voltou, com sua guitarra, ao moinho de água feito pelo avô. Ali tocou. 
Seus acordes e a força motriz da harmonia entre as partes
fizeram mover o moinho da sua infância que, funcionando, drenou, daquele peito alagado, 
as lágrimas de saudade do avô, que é a lembrança e a razão de ele tocar guitarra. 

#microcontoescambau              #concorrendo

Palavra do dia 19/07/2017 -  fazenda

Quando o filho nasceu, a mãe enterrou o umbigo dele na porteira da fazenda do patrão, para ele ter a mesma sorte do pai: ser fazendeiro. Na fazenda foi peão. 
Sobre um touro indomável rodopiou, foi às alturas. 
Numa descida medonha, aterrissou inteiro aos pés da porteira, 
onde jazia uma parte sua. 

Palavra do dia 19/07/2017 - fazenda

Batisto Chifrs sonhou ter uma fazenda, criar gados e ver os dois filhos
 Uésça Falastriny  e Joiés Curruptivys formarem dupla sertaneja. 
Batisto Chifrs, pregador da fé e da boa vontade, achou um bilhete premiado.
 Desistiu dos sonhos, pegou os filhos e foram curtir a vida em Nova York.


Palavra do dia 20/07/2017: Caribe

- Dizem que veio do Caribe.
- Uns falam que é chato, outros que é ruim!
- E perigoso também!
- Chamaram até a polícia...
- O padre diz que não vem!
- Por que esse trololó? Não vejo nada de mais!
- É cega, criatura? Veja melhor pra entender do que estamos falando!
- Tô vendo... e tô é gostando muiiitoo...

#microcontoescambau      #concorrendo


Palavra do dia 21/07/2017: botas

Durante o dia, as botas pesadas do recruta enchem os seus pés de bolhas.
À noite, elas estouram nos sapatinhos de cristal que, aos poucos, 
avermelham-se e transbordam seu alívio.
No dia seguinte, ele calça as botas novamente e, a par com seus desejos,
marcha vislumbrando os sapatinhos que o esperam. 

#microcontoescambau        #concorrendo


Palavra do dia 22/07/2017: comissariado

Para amenizar a situação do país e agradar a todos, Deus criou um comissariado especial.
Chamou o Lula, o Temer, o Bolsonaro, o Wyllys, a Feghali, o Aécio, o Cunha,
 a Dilma, o Dória, os Batistas, o Sérgio Moro, o Gilmar Mendes e, 
para equilibrar a comissão, chamou o Diabo, que recusou o convite.

#microcontoescambau               #concorrendo


Palavra do dia 23/07/2017: licor

Feliz, ela leu preto e branco. Eu licor
Ela apresentou a aquarela. Eu licor
Ela desenhou na tela. Eu licor.
Ela abriu a exposição.  Eu licor.
Ela apresentou sua arte. Eu licor
Quando serviram os canapés, não dei conta:
vomitei os cinco cálices de licor que tomei        
diante dos convidados daquela vernissage.

#microcontoescambau       # concorrendo

------------------------------------------------------------------Rita Lavoyer --------------------------------------


domingo, 16 de julho de 2017

MICROCONTOS

________________________________________________________________________________

Palavra do dia 10/07/2017- condomínio

Por liberdade, muitos jovens apropriaram-se dos seus " Condomínios Fechados Celulares" e nunca mais saíram dos seus quartos.

#microcontoescambau      #concorrendo



Palavra do dia 11/07/2017: submarino

Como uma bomba atômica, Eva lançou-se sobre o submarino nuclear de Adão, explodindo em ambos o  Big-Bang  que proporcionou ao Universo a vida encantadora que ele precisava.

#microcontoescambau     #concorrendo

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Palavra do dia 12/07/2017 – valise

Patrícia dizia, entre as amigas, sobre as viagens de reconciliação que fará com o esposo, e que comprará, inclusive, umas valises.  
Sua sogra, surda, entrou na conversa:
- Operar as varizes? Meu filho vive me dizendo que você tem as pernas muito feias. Aproveita e faz 
os pés-de-galinha também!  

#microcontoescambau       #concorrendo


Palavra do dia 13/07/2017: penico

- Bisa, o que é penico?
- Hum... na sua idade, era no Google que eu achava respostas para as minhas dúvidas.
- Aff, bisa, você é das antigas, hein? Pode deixar, por telepatia, vou ao Escambanauta. Lá, há definições para tudo neste mundo. Para penico devo encontrar significados bem interessantes. 

#microcontoescambau                    #concorrendo



Palavra do dia 14/07/2017: esquerda

Artéria é bipolar. Se sua mão esquerda acaricia-lhe a direita para esparramar o hidratante, a direita, descontrolada, tasca-lhe a mão. Irada com as brigas, para castigar a direita, Artéria arrancou-a e ficou feliz. Quando sente falta da direita, soca a esquerda na parede e resolve a parada. 

#microcontoescambau         #concorrendo


Palavra do dia 15/07/2017: úlcera

Era úlcera, mas ouvia os berros de que a “urça” que o avô tinha no estômago o matou. 
O neto, que nunca ouviu sobre isso, sacou logo o porquê de o avô presenteá-lo, no dia anterior, com um ursinho de pelúcia.
Foi castigo – disse. Deu o filhote para eu cuidar, só para comer a mãe dele.  Bem feito!

#microcontoescambau         #concorrendo


Palavra do dia 16/07/2017: disputa

João e Luís acertaram que iniciariam a disputa e o disparo seria o início da partida.
Um errou e partiu. O que acertou não ficou com a herança e disputa os centímetros quadrados na cela lotada de uma penitenciária.

#microcontoescambau       #concorrendo

______________________________________________Rita Lavoyer ______________________


sexta-feira, 14 de julho de 2017

MICROCONTOS


Palavra do dia 03/07/2017 - pote

Ela tinha apetite por coisas estranhas: barro, unha, cabelo. Diagnosticaram-na com Síndrome de Pica. Achava o marido insosso. Às noites, retirava água dos potes e o massageava, até que o desmembrou e o escondeu nos potes vazios. Quando o conteúdo apresentou gosto estranho, devorou-o inteiro.  
  

Palavra do dia 04/07/2017– lago

Nomearam-no “Lago dos Historiadores”. Há décadas, à sua margem, instalaram redes de rádios e TVs e jornalistas apostam sobre ele. Alunos vão conhecê-lo.
Lendas tentam dar conta de seus fatos.
Pesquisas e matérias são elaboradas a seu respeito e nenhuma, até hoje,  responde ao porquê do seu nome.



Rapaz chamou a mina para, no lago, ver desfile de submarinos. Fã de doidices, ela topou!
Sobre o primeiro que passou ela investiu. O condutor convidou-a a ver um tamanduá. Foi! 
Sozinho, o rapaz acreditou que o nhec nhec nhec  que ouvia do outro lado do lago fosse 
o som do bicho comendo formigas.


Palavra do dia 05/07/2017:  – Ponteiro

Quando criança, fazia dos ponteiros assento. Os apressados puniam-na.
 Ganhou peso e quebrou o ponteiro da hora. Perdia os horários.
Vendo na face os sinais do tempo acelerado, abandonou o ponteiro do minuto.
 Livre desse fardo, sentiu-se leve. Voou. Hoje, ponteiro algum lhe alcança os passos.    


Palavra do dia 06/07/2017:  medalha

O perdedor

Expedito é quem mais acumula simbólicas medalhas sobre suas lutas perdidas.  É campeão em perder todas. Jamais ganhou uma batalha.
A cada derrota, sua vontade de recomeçar renasce vitoriosa. Gravou na medalha da alma: “desistir jamais”, ainda que o rotulem eternamente: o perdedor.   


Palavra do dia 07/07/2017 : mostruário

Para ostentar sua monstruosidade, de que se orgulhava, Araquém saiu a rua trajando seu nudismo. Fez-se mostruário do que a natureza soube fazer melhor.  
Os transeuntes, boquiabertos, arregalaram os olhos e não assimilaram aquele pênis tão miudinho. Quem assistia à cena lastimava: Coitadinho!

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------

Palavra do dia 08/07/2017: alumínio

Soube que alumínio derretido mata formigas. Tentou derreter as panelas onde faz as refeições do patrão. Impossível! Sabendo que ele lambe os papeis alumínio que cobrem os bolos, passou a esfregar estricnina neles e a fazer mais doces. Agorinha, ela o encontrou com a boca cheinha de formigas.   


--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Palavra do dia 09/07/2017 - brigadeiro

Joana tem um apetite do escambau: o do pão, o do leite, o da pipoca, o da verdura experimenta-os escondidos. Falta o predileto: o brigadeiro com seus beijinhos, que ainda não o fez porque ele traz , a tiracolo, os olhos-da-sogra que usam lentes de aumento.


--------------------------------------------------------------   Por Rita Lavoyer ------------------------------




sexta-feira, 7 de julho de 2017

Classificação 7º concurso de microconto Piracicaba

logo_microcontos_2017


Vingança

Vingou-se do marido bêbado pondo uma cobra debaixo do lençol.
Tonto, sentiu-a em suas pernas, riu:
- Mulé, é hoje qu’ocê delira! 



Rita de Cássia Zuim -
microconto , 140 caracteres, classificado no 7º concurso de microconto de humor de Piracicaba, 2017. 

terça-feira, 20 de junho de 2017

APERTO DE MÃO


Rita Lavoyer


Sabe-se que o aperto de mão é um dos cumprimentos mais antigos da humanidade.  A história vem lá dos faraós do Antigo Egito que acreditavam que os poderes lhes eram atribuídos quando as divindades lhes estendiam as mãos. Amanhã, dia 21 de junho, é o dia internacional do aperto de mão.  Nessa vida o que não nos faltam são apertos, principalmente para os refugiados cujo dia mundial comemora-se hoje, 20/06. 


Apertar as mãos de outras pessoas significa muitas coisas: inclusive fazer pose para fotos após selar algum negócio. Há apertos de mãos em que um dos pares ri para não chorar. O “aperto” é aperto mesmo, quase quebrando os ossos, como um código a ser decifrado:  “faz o que proponho senão os ossos quebrados serão o da tua cara”.







No livro: “The Definitive Book of Body Language” – O livro definitivo da linguagem corporal, explica que: “quem a coloca pelo lado superior, com a palma virada para baixo, tem a intenção de ter o controle do encontro. O mesmo ocorre de forma inversa. Ao posicionar a mão de forma inferior, você indica submissão, demonstrando que a outra pessoa pode ter controle naquele momento.”



Na Índia, as pessoas se cumprimentam e comem com a mão direita, porque a esquerda é impura; não usam papel higiênico, mas se lavam.  Lá, o que a esquerda faz a direita já nasce sabendo, sem promoverem vingança uma a outra. Aliás, hoje é o dia da vingança. Quem é o estressado que vai comemorar isso? Melhor ir pescar. Parabéns, pescador! Hoje, 20/06,  é o seu dia também.


Um pouco sobre o dedo.  A mão fechada com o polegar apontado para cima, em alguns países é sinal de aprovação. No facebook é “curtir”, mas no Afeganistão é um ato muito obsceno. Sei não, vai ver que o polegar erguido é uma metáfora. Quem sabe dos traumas que Alexandre, o Grande, cravou naquele povo quando explorou aquele território séculos atrás? 
E por sofrerem repetidas invasões ao longo da história, hoje, quem fizer um “chimite” a um afegão, sem 
querer vira homem-bomba e não lhe sobra tempo nem para curtir um aperto de mão. 

Na Arábia, arrotar após as refeições é sinal de educação; e um Sheik pode, simplesmente por ser um Sheik, fazer uma “proposta indecentemente irrecusável” a você, caso ele, estando estressado, o veja no hall de um luxuoso hotel de lá e o ache boa companhia para uma peixada regada a vinhos.  Nesse caso, o aperto de mão entre ambos pode ser diplomático. Não quero nem saber qual dos dois arrotará primeiro após a pescaria.   

Em algumas tribos do Tibet, mostrar a língua é um ato de cumprimento. E do Tibet encontrei esta filosofia: "É melhor ouvir uma vez do que ouvir muitas." Isso justifica mostrarem a língua.   

Tapinha nas costas durante um cumprimento é falta de educação em algumas culturas.  Um aperto de mão já é suficiente. Na política brasileira, tapinha nas costas dá direito a viagens em jatinhos particulares com estada em hotéis de luxo totalmente paga, e apenas um aperto de mão sela o silencio do político com seu mantenedor.

Há toques de mãos que mais se parecem a um fio descascado ligado em alta tensão. É cada choque que a gente recebe que nossos cabelos ficam tostados. Depois os nossos olhos liberam faíscas e maledicentes dizem que nós temos TPM. 

Enfim, há aperto de mão mais forte, mais suave, com e sem vontade.  Há aperto de mão que nos faz arrepender pelo resto da vida e aperto de mão que a gente nunca mais quer que se desfaça. 

O aperto de mão é rico em significados e pode revelar muito sobre nós, produzir efeitos marcantes.

Pense que seu aperto de mão não é mera formalidade. Não deixe isso para amanhã, estenda a sua mão, faça-se porto seguro para outra mão que talvez necessite refugiar-se no conforto do seu cumprimento.

Estendo-lhe a minha para que sobre ela coloque a sua. Mas sem estresse, tá? Não curto pescaria.  

----------------------------------------*-*-*-*-* ---------------------------------------







domingo, 11 de junho de 2017

MICROCONTOS

Participei diariamente, no mês de abril, do projeto de microcontos do Escambanauta. 
Por dia havia em média de 400 a 900 contos e a cada final de semana saia a lita dos 35 classificados. Eis que, entre milhares de microcontos,  na quara semana fiquei em 13º lugar  entre os 35 classificados. 

A palavra do dia 27/04 era Lavatório. Destacado lá embaixo.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Palavra do dia 29/04/2017: ladrão

- Hei, irmão, onde acho um lugar com boas leis, povo gentil, sombra e água fresca?
-Lá, na terra que tem palmeiras onde canta o sabiá!
- Biodiversidade, Festas, Enem e Saci-pererê?
- Lá, onde canta o sabiá!
- Justiça igualitária e nenhum tipo de ladrão?
- Bom, aí, só em Brasília, onde canta a sereia.
#microcontoescambau
#concorrendo
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Palavra do dia 29/04/2017: ladrão

Sob violências, Théo roubou-se a vida toda.
Não tendo mais o que subtrair de si mesmo, perdido entre os objetos do seu latrocínio, identificou-se como ladrão em potencial. Rendido, entregou-se a um amor bandido. Dele, recebeu tudo o que não tinha e, sem violência, pediu que lhe roubasse o coração. 
#microcontoescambau
#concorrendo

Greve- 28/04

-------------------------------------------------////-----------------------------------------------------------------

Palavra do dia 27/04/2017: lavatório

Após a transa, o rapaz ocupou o banheiro.
- Moça, já usei lavatórios mais limpos que este! – ele observou.
- Eu também já beijei umbigos menos fedidos que o seu – ela lhe respondeu. 

#microcontoescambau
#concorrendo

Palavra do dia: lavatório

Seu falatório não convencia mais ninguém na recepção do pronto socorro. Teria que esperar sua vez para ser atendida. Não aguentando mais e, com a boca seca, arrastou-se até ao banheiro e banhou-se no lavatório. Agarrou-se nele e, perdidas as forças, sentiu seu filho escorrer-lhe entre as pernas.

#microcontoescambau
#concorrendo

 microconto classificado em 13º lugar na quarta semana. 

///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Palavra do dia 26/04/52017: discoteca

Do casamento desfeito restou-lhe a discoteca, a vitrola e o cachorro. Todos os dias, esperançoso, ouvia: “Eu cheguei em frente ao portão. Meu cachorro me sorriu latindo, minhas malas coloquei no chão. Eu voltei.”
Um dia o cachorro se foi. Com ele, enterrou “O portão” e redescobriu o rock and roll. 

#microcontoescambau
#concorrendo

Palavra do dia: discoteca

Para se vingar da sogra, que morava em sua casa, foi à discoteca dela e, com uma ramona, riscou-lhe a coleção de disco do Waldick Soriano.
Caiu na cachaça e dizia: Eu não sou cachorro não, por causa dela sou muito desprezado. 
Bêbado, em casa, xingado de cachorro, a esposa o encheu de chineladas. 

#microcontoescambau
#concorrendo

/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Palavra do dia 25/04/2017 : terminal

John enviou bilhete à sua amada Bety:
“Querida, espere-me no terminal rodoviário às 16h. Não leve bagagem.”
Foi Any, irmã dela, quem recebeu o bilhete. Escreveu outro e Bety foi para o terminal ferroviário, às 16h, com bagagem para vida toda.
O casal, John e Any, há anos, procura por Bety. Any chora.

Palavra do dia: terminal

Dora, no terminal da vida, esperava o trem da alegria passar, para embarcar numa viagem que lhe desse prazer.
Num dia de tormenta, o teto do terminal desabou. Dora olhou para cima e viu um avião.
- Gente louca! - Pensou.
Não tendo onde sonhar, entrou na igreja, orou e pediu coragem para voar. 

#microcontoescambau
#concorrendo 

 //////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////


Palavra do dia 24/04: língua
Com suas unhas, Marina arrepiava o namorado que adorava chupar sorvetes. Ela preparou uma sopa e o convidou para jantar, mas não fez sobremesa alguma. Ávido para experimentar o prato da noite, ele queimou a língua com o caldo quente, escapou dali e foi chupar sorvete com o corpo todo arranhado. 
#microcontoescambau
#concorrendo


Palavra do dia: língua

Imaginava que havia um exército de inimigas ao seu encalço. Sem armas para se defender, usou a própria língua e quase detonou as adversárias, que não sabiam de nada, mas sabiam do poder que também tinham na língua.

///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////


Palavra do dia: embargo

O inglês era um embargo para sua vida de estudante. Então apareceu o português, professor de inglês, que a ensinou a usar a língua. Quando aprendeu, ela deixou os estudos e fugiu com aquele embargo.

#microcontoescambau
#concorrendo

Palavra do dia: embargo

Prevendo um embargo geral na sua obra, correu na farmácia e comprou supositórios.
#microcontoescambau


///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////



terça-feira, 6 de junho de 2017

FAZENDO UMA FEZINHA!

Rita Zuim Lavoyer

Hoje é o dia do vendedor de bilhete de loteria. Falar sobre ele remete-me ao meu avô. Na minha infância, havia o seu “Bebel bietero”. Ele passava em frente de casa e gritava: “Ó biete! Ó biete!”.

Ele parecia-se muito com o “Sujismundo” da campanha lançada em 1972, com fins educativos e trazia o slogan: “Povo desenvolvido é povo limpo”, bem aos moldes de: “Brasil, ame-o ou deixe-o”, “Este é um país que vai pra frente” e “Ninguém segura este país”. Lembra-se?

O Sujismundo era o protótipo de brasileiro em quem não se podia espelhar. Ele jogava papéis no chão, esparramava objetos pelo escritório onde trabalhava, trazia aparência de sujo e uns mosquitinhos circulando-lhe a cabeça. Esse era o sujeitinho sujo do Brasil daquela época.  Então, o “Bebel bietero” parecia-se com o Sujismundo da propaganda. Mas só aparentemente. Ouvia dizer que era honesto, trabalhador que sustentava sua família vendendo bilhete de loteria.  

Meu avô, aposentado com meio salário pelo Funrural, fazia uma fezinha, comprando um pedaço do bilhete da loteria federal, a mais popular da época.

Até hoje há os vendedores de bilhetes de loterias porque sempre há compradores. Mas quem tem ganhado frequentemente com a “sorte” são “alguns brasileiros”, não como nós, civilizados, que aprendemos que povo desenvolvido não é ser apenas limpo...   

Há “brasileiros” de caras lavadas que a cada aperto de mão, tapinha nas costas, almoço e jantar “de graça”, contratos, maletas, subornos, propinas, black-tie e afins enriquecem, como se ganhassem dezenas de vezes numa mega-sena acumulada meses e meses. Quando descobertos dizem que trabalharam para o bem do povo, bem ao estilo malandro: “um para o povo e nove para mim”. Assim faz sentido fazer o bem, e muitos desse povo, mesmo sabendo que os malandros nos fazem seus objetos da sorte, ainda os defendem.   
Quem não se lembra do João Alves e os anões do orçamento que compravam jogos premiados para lavar dinheiro roubado da nação? E hoje as lavações e as sujeiras agigantaram-se ainda mais. 

O que essas pessoas que vêm a público defender acusados de roubarem a nação, seja de esquerda ou de direita, estão ganhando? Pensam que nos enganam, que defender ladrão dos cofres públicos o faz em defesa do país e do povo brasileiro? Defender ladrão do erário em detrimento da justiça é defender a sujeira do próprio umbigo. Essa é uma maneira de alguns “representantes do povo” ganharem na loteria todos os dias: o povo ingênuo os premia com suas defesas, mal sabendo que estão caindo no golpe do bilhete premiado.  Que desenvolvimento é esse?

Qual país que vai para frente mantendo no poder corruptos que se apoiam, e uma turma querendo que outro malandro de igual calibre retorne ao trono? Que país que vai para frente com líderes partidários berrando cinismos em defesa do país, roubando em nome do povo e a sua sorte na mesma proporção, e seus seguidores aplaudindo-os? Que pais que vai para frente tendo o povo digladiando-se em defesa de ladrões para provarem que têm ideais políticos?

Como nos ensinava meu avô: - Quem defende ladrão e se espelha nele para viver é tão pior que o próprio ladrão defendido e espelhado. Sorte mesmo a tem quem compreende essa máxima.  

Que o slogan de hoje seja: Povo desenvolvido é povo honesto.


Já é tempo de pôr em prática: “Brasil, ame-o ou deixe-o”. Que esses “sujismundos representantes do povo” o deixem, ainda que na marra, de preferência algemados e que o povo tenha a sorte de vê-los na cadeia, ainda que em território nacional comendo o que é pago por nós,  senão “Ninguém segura este país” nos trilhos que o levam para frente e Lava Jato nenhum conseguirá limpar o que os “sujismundos” no poder vêm sujando.
Estou fazendo essa fezinha!