CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

sexta-feira, 1 de abril de 2016

AS CUMADI do dia 01 de abril


AS CUMADI - autoria: Rita Lavoyer

  Toc!  Toc!  Toc!

 -  Cumadi Mentira, vim  dar-lhe os parabéns pelo seu dia de hoje! Você está em casa?

- Não, cumadi Verdade! Não estou aqui não!

_ Uai, mas essa voz que sai aí de dentro é sua, não é, cumadi Mentira?

- Mentira, cumadi Verdade, essa voz não é minha não. É eco.

- Eco de quem, cumadi Mentira?

- Uai, se é eco, Cumadi Verdade, só pode ser o seu.  Tem mais alguém aí fora  além da Verdade?

- É verdade! Aqui fora eu só vejo a Verdade, que sou eu mesma. Esse eco deve ser meu mesmo.  Você não está aí dentro não! Tchau, cumadi Mentira, amanhã eu volto pra ver se encontro você em casa, certo?

- Errado, cumadi Verdade!  Amanhã eu não estarei em casa. Só hoje eu estarei em casa, porque hoje é o meu dia e eu vou comemorar. Tchau, cumadi Verdade! Volte sempre que quiser, sempre estarei à sua espera, amiga!

- Cumadi Mentira, você está mangando de mim? Você está ou não está dentro de casa?

- Claro que estou, cumadi Verdade! Estou sim dentro de casa!

_ Verdade, cumadi Mentira?

_ Mentira, cumadi Verdade! Não estou aqui, não! Só estou quando você pensa que eu estou. Se não pensar eu nem apareço por aqui, embora a casa seja sua. Entendeu, Verdade?

- Verdade? Não entendi nada, cumadi Mentira!  Eu nem sabia que a sua casa era a minha!

- É sim, cumadi Verdade, a casa onde eu estou hoje é a sua casa. Pode entrar, cumadi Verdade, a casa é sua sim.

- Uai, cumadi Mentira, se a casa é minha, por que é que estou do lado de fora, querendo entrar para visitá-la no dia em que se comemora o seu dia: o da Mentira?

- Porque você se lembrou de se lembrar de mim somente no meu dia. Se se lembrasse de mim todos os dias viria-me residindo ao seu lado, cumadi Verdade.

- Como está ao meu lado se eu não a vejo nunca, cumadi Mentira?

- Não me vê porque você só enxerga a Verdade: o seu reflexo. Se olhasse ao seu redor me viria em todos os lugares por onde circula. Hoje, por exemplo, você saiu da sua casa, está olhando para ela do lado de fora. Você vê mentira ou verdade dentro dela??

- Cumadi Mentira, não vejo nada, estou do lado de fora.  Você é muito complicada, está me confundindo com tantas perguntas de Mentira que eu já nem sei se as minhas respostas são de Verdade.  

- Cumadi Verdade, como não vê nada? Eu estou do lado de dentro e consigo ver tudo. Além do mais,  está me acusando de confundi-la!!!  Verdade ou mentira?

- Mentira! Não a acusei de nada.  Posso entrar para conversar com a cumadi aí dentro? Queria conversar tudo hoje sobre um monte de verdade e você me conta um monte de mentira.

- Que monte?? Só tem uma mentira aqui na sua casa, cumadi Verdade. Sou eu, sua amiga.

- É verdade, cumadi Mentira.  Só tem uma amiga na minha casa. Mentira, ainda bem que você é minha cumadi. Posso entrar agora?

_ Não! De verdade,  você nunca saiu, cumadi Verdade. Fui eu que bati à sua porta, você abriu e eu entrei. Hoje é o meu dia: O Dia da Mentira, vamos comemorar? De verdade, eu não vivo sem você, cumadi Verdade.

- Comemorar do lado de fora ou de dentro da minha casa, cumadi Mentira?

- Para ter o meu Dia da Mentira comemorado de verdade, eu prefiro que seja do lado da Verdade.

_ Ah, e qual é o lado da Verdade, cumadi Mentira?

_ Ah, cumadi Verdade, hoje o lado da verdade é o meu: - o da Mentira!

- Verdade?

- Verdade, cumadi Verdade! Pura Verdade! Viva a Mentira! 

Autoria - Rita Lavoyer