CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

POMAR DE COISAS




A mexerica adorava uns mexericos. Isso não é permitido pelas leis da natureza:“Poligomia”. Mexerica com seus gomos mexeriquentos.

Coisa mais casca grossa, azeda, enrugada, gorda e o que é pior: vivia pendurada.

Apesar de tudo isso tinha ao seu redor todos os mexericos. Bichos “cabras da peste”...

Falar em peste, dizem que a cabra morreu. Morreu de peste. Vamos ver se isso procede?

Foi logo andar com a lebre, morreu de peste lebrônica. Lembra-se daquele acidente dela com o lagarto? Não? Hum! Bicho de língua perigooosa... Parto perto dele ninguém podia fazer. Partia logo com a sua língua a devorar todos os ovos.

Houve um dia, credo, tem até que bater na boca para não dar sapinho, que o bicho soltou a sua língua para de todas as coisas falar. Dizem que só a língua não foi o suficiente. De repente soltou o rabo também. E aí, foi perna pra quem te quero.

A lebre, coitada, ficou com a perna quebrada. Bicho velhaco esse lagarto. Ficava escondido em qualquer buraco só espiando o que se passava. Por falar em passava, ele andava passando muito mal, vivia amarrotado. Era um bicho abandonado. Vai ver era por isso que tinha aquela língua e aquele rabo. Ou seria o contrário?

A cada horário era uma coisa naquele pomar.

A mexerica não gostava do sapo e ele vivia engolindo seus mexericos. Os mexericos dela nunca morriam, estavam sempre de pé. E ela pegava no pé mesmo.

Lembra-se daquela lebre que matou a cabra? Não? Pegou no pé do bicho de um jeito que deu dó. A bichinha já estava com a perna quebrada... Olhava unha a unha e um defeito em cada uma ela punha. A lebre até que tentava se safar mas... ligeira que a mexerica era, dava sempre um jeito de a lebre enrolar. De tão enrolada que ficou, tropeçou.

Para se levantar teve que começar a andar com os mexericos. Espie só! Eles são da mexerica, foram feitos por ela. Mexeriqueiras existem de longas datas. Essas coisas de cabra só dão bode.

Vejam só se pode! Veio logo a cabra querer acabar com os mexericos que estavam andando com a lebre. E não deu bode?! Pô! Um mar de coisas rolou.

Uma mariposa que vivia na espreita, vigiando as coisas, saiu com cada coisa... O lagarto nem ouvido deu, mas deu-lhe uma rabada, derrubou a mariposa e naquela língua aquele bicho morreu.

A vespa que era vesga nada entendeu e deu o relato do que sucedeu:

“A mariposa, mariposa preta, fez uma pose e pousou de borboleta na folha da violeta.

A violeta, violou a letra, e a maricoisa coisou de coiseta na coisa da coisoeta.

A maricoisa, coisa tão eta! violetrou a coisoeta e a coisa ficou preta.

Presa a coisa, pela sua treta, a violetra desfolheou o caso da pose, e pousou numa rosa uma linda borboleta.

Eta! Que borboleta! Pousa na folha sua beleza de cor preta e violeta.”

Desenrolados os nós, a mexerica enlouqueceu. Quebrou logo o seu galho, desceu do salto e pra ninguém mais teve alho nem bugalho. E o seu suco destilou.

“ Aquela cabra, cabra da peste, fez caridade pra curar as pernas daquela lebre de idade.

Mas a lebre, por falsidade, mentiu de verdade para a terna cabra macabra. Um pé–de-cabra, abriu a abra cadabra e aquela coisa ficou braba de repente.

Gente! Fiquei atônita quando soube que a cabra tinha peste lebrônica! O seu lagarto fez o seu parto e ele partiu porque pegou peste de cabra. Oh! Sua lebre pegue sua reta, porque peste de cabra pega. Pode fugir com esses mexericos porque eles não são meus. Esses mexericos não foi eu quem lhe deu.”

Cadê a cabra?

Logo tudo começou a clarear naquele pomar. As coisas começaram a perceber que havia algo errado por ali. O campo majoritário decidiu que cada macaco ficaria em seu galho. Logo, alguma coisa começou a cheirar mal.

Uau! Foi uma bagaceira. Aquele lugar não chamava mais pomar, não havia mais mexeriqueira. Aquela mexerica não amadureceu, mas caiu de podre e morreu.

A cabra comeu o bagaço.

A cadeia alimentar consumou-se em favor de todos.


Autora- Rita Lavoyer membro da Cia dos blogueiros e UBE

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

SEXTING


Texto publicado em 06/2010
Acha que eu estou brincando? Quando alguém afirmar que bullying não é brincadeira, acredite! Quando alguém disser que cyberbullying ( bullying na internet) não é brincadeira, bote fé! Quando alguém falar que workplace bullying (bullying no trabalho) não é brincadeira, creia!
Você sabe o que é sexting? É o bullying através de fotos e textos sexuais. Para mim isso é gravíssimo! Você acredita?
Pesquisas comprovam que mais de 30% dos pais não tomam conhecimento do que os seus filhos fazem na internet. Sempre achei que fosse 70%. Vivo atrasada! Eu procuro não me deixar induzir pelos resultados de pesquisas. Basta que aconteça um caso grave, para que sejam tomadas providências, principalmente no que se refere à vida de nossas crianças.
A “Beatbullying”, uma instituição inglesa, efetuou pesquisa com adolescentes entre 11 e 18 anos e constatou que pelo menos 1/3 dos entrevistados já receberam mensagens ofensivas pela internet.
Essa Rita está piorando na chatice, eu sei! Vou relatar o que eu imagino. Nada aqui é verdadeiro. É tudo fruto da minha mente.
Menininha tira fotos, ”nua”, no seu celular e as remete, por alguns meios eletrônicos, ao seu queridinho namorado.
Tá! Eu quero rir, porque ela não sabe realmente o que está fazendo, mas sabe, porque é “ligadinha”, o que é um celular e para que serve o tal aparelho.
Daí que o amorzinho dela mete-lhe o pé no traseiro e fica com aquela foto linda dela peladona em seu poder. Vai fazer o que o garotão? Mostrar aos amigos, ou não? Ele é um santinho...
A foto da “criança” sai rolando por aí. A garota entra em parafusos, bem naquele que já lhe falta. Tadinha! Tão criança e já tem um celular? Então tá, ela não sabia das consequências, porque eu apenas relato fruto da minha imaginação.
Tô peganu pesadu. Vô manerá! Isquici, é ‘’di menor’’ ela.
Voltando ao rumo do assunto.
Sexting é outra nova (pra mim que sou besta), mais já é assunto velho para justiça, porque tem fotos e textos pornôs entrando nas residências sem que os pais saibam.
Tô sabendo! É culpa da escola, não é? Dela e de todos os funcionários que não vigiam aquela meninada toda que entra no banheiro com celular moderno que tira foto.
Quer saber? Há alunos que o lugar deles não é a escola. Eles não têm espírito para aquele ambiente. Mas as estatísticas precisam apresentar números bem baixos de crianças fora dela. Vamos pôr lá dentro. Professor ganha bem pra quê!?
Bem, por eu não saber qual o lugar certo pra eles, vou deixá-los na escola mesmo. É uma solução pra esse meu enredo.
Tem mais! Eu imagino que há pais que nunca foram à uma reunião escolar. Quando o diretor os chama para relatar o comportamento do filhinho, (faz de conta que ele se saiu prejudicado) entram na escola com gangue para, quando não apedrejarem o prédio, baterem no professor.
Se o fenômeno bullying invadiu as escolas, é culpa de pais que não souberam e não sabem pôr limites aos seus filhos que, provavelmente, são vítimas de maus tratos em casa, saem e praticam o que assistem, vitimando inocentes que só pretendem ficar quietos nos seus cantos. Tá! Tô mal mesmo de imaginação.
Até quando vamos aturar que pais fujam de suas responsabilidades de educadores, formem delinquentes dentro de casa e os depositam dentro das escolas para perturbar a vida de alunos que querem estudar e de professores que querem trabalhar?
Putz, Rita! Você só escreveu besteira até agora.
Amigo leitor, perdoe-me, por favor! Eu queria falar sobre a gravidade desse novo fenômeno sexting, que é a divulgação de conteúdos eróticos, sensuais e sexuais com fotos pessoais de jovens, que competem entre si quem tem mais acesso às suas fotos na internet, mas fui tomada pelo fervor da minha imaginação. É que eu gosto de ficção, sabe? Se você não gosta, quando me vir aqui de novo pule a página.

Rita Lavoyer é professora, escritora.
Pós-graduada em Linguística, Crítica Literária e Pós-graduanda em Psicopedagogia.













Blog Rita Lavoyer: SEXTING

Blog Rita Lavoyer: SEXTING

terça-feira, 16 de outubro de 2012

APRENDENTES ETERNOS




Foto: O professor mediano conta.
O bom professor explica.
O professor superior demonstra.
O grande professor inspira.

(Willian Arthur Ward)

O professor mediano conta.


O bom professor explica.

O professor superior demonstra.

O grande professor inspira.



(Willian Arthur Ward)

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

AUTORIA- RITA LAVOYER - Voz/arranjo José Renato Gimenez e Mário Carteado

Acreditem em mim.


Papai, não grite mais!

Papai, não faça assim!

Mamãe já me deu um tapa

Que eu não pude reagir.



Papai, fico contente

Quando volta para casa.

Eu chamo a sua atenção,

Mas você não me abraça.



Papai, sou tão sozinho,

Fico sempre isolado.

Não tenho um amigo

Quero você ao meu lado.



REFRÃO

Mamãe, eu sei que moro

Dentro do seu coração.

Mas quero que entenda

Que eu não sei me defender.

Eu tenho um brinquedo

Que se chama confiança.

Brinque no meu mundo, pai,

Cresça até virar criança.



Outro dia eu ouvi

num programa da T.V.

Que a família é a base

para a criança viver.



Mamãe, nunca me negue

o brilho do seu olhar

eu não sei o que é casa

Mas você é o meu lar.


Mamãe, não bata mais

Antes de me ensinar.

Eu só posso aprender

Se você acreditar.


REFRÃO


Papai, não sei o que

significa o que diz

que eu preciso virar gente

Se eu quiser ser feliz. bis



Vocês me dão presentes

Que não são do meu perfil.

não sabem pra que servem.

Eles são brinquedos frios



Papai, mamãe, lhes digo:

Obrigada porque vim.

Ainda sou uma criança.
Por favor, cuidem de mim.

RITA LAVOYER

esta canção compõe o CD- Bullying não é brincadeira
autoria das letras: Rita Lavoyer
Voz e arranjo- José Renato Gimenes e Mário Carteado.

Obs- não conseguir postar a música.




Menina que enfrentou o Talebã é baleada e causa fúria dentro e fora do Paquistão


MALALA, AS MULHERES DO TALEBÃ


Malala não é uma garota qualquer. Ela é uma menina de 14 anos que foi baleada pelo Talebã no dia 09 de outubro deste ano no Paquistão. O ocorrido está provocando revolta dentro e fora daquele país.

Malala Yousafzai é conhecida pela sua coragem de enfrentar o Talebã, criticando-o publicamente. Ela fazia campanha pela educação das meninas no pais. É bom lembrar que entre tantas atrocidades à mulher, o regime do Talebã proíbe também que as mulheres estudem em escolas, universidades ou qualquer outra instituição educacional. Malala não queria que isso continuasse, nem pra ela e nem para a sua Nação Feminina que tanto sofre calada diante dos olhos do mundo.

O país não oferece condições para que Malala seja salva pelo sistema de saúde que ele oferece à população. Mas o Mundo quer cuidar de Malala, conforme gritam nas redes de comunicação.

O mundo grita por Malala, mas emudece perante tanta gente mulher que há séculos e séculos são reduzidas a nada, estranguladas em suas vontades. Assassinadas já dentro do ventre materno pelo castigo de ter sido gerada mulher, por outra mulher.

A lista de regras que a mulher deve obedecer, editada pelo algoz Talebã é escrita com sangue cor-de-rosa, e exala um silêncio gritante debaixo da negra burca que a cobre dos pés à cabeça.

As mulheres afegãs recebem o abraço dos chicotes a elas determinados pelo simples fato de ‘quererem querer’ apenas.

Malala traz em si o grito abafado de todas as mulheres afegãs.

Viva Malala em nome de todas as mulheres de direito!




Menina que enfrentou o Talebã é baleada e causa fúria dentro e fora do Paquistão

ENQUANTO ISSO, NO BRASIL, TEM CRIANÇAS FAZENDO BIRRAS PORQUE QUEREM O BRINQUEDO NO DIA DELAS.


QUANTOS PAIS  SE DESDOBRANDO EM HORAS DE TRABALHOS PARA GANHAREM UM POUCO MAIS, PARA DAREM DO BOM E DO MELHOR PARA OS SEUS FILHOS, TENTANDO, POR EXCESSO DE AMOR, TIRAR-LHES 'O FARDO' QUE JULGAMOS SER PESADO PARA ELES - O DA RESPONSABILIDADE.

NÃO QUEREMOS QUE NOSSAS CRIANÇAS SEJAM DESASISTIDAS. QUEREMOS O MELHOR PARA ELAS, MAS MUITOS DE NÓS- PAIS ZELOSOS EM EXCESSO- ESTAMOS TRANSFORMANDO AS CRIANÇAS EM DELINQUENTES DE GRANDE POTENCIAL.

DIGO ISSO PORQUE ME INCLUO, SEM VERGONHA DE DIZER, QUE SOU DESSE TIPO DE MÃE QUE FEZ DE TUDO PARA PROTEGER OS FILHOS, E CONTINUO FAZENDO, MAS SEI DA  MINHA CULPA, DA MINHA FALTA DE CORAGEM DE SENTIR  A DOR DOS FILHOS QUANDO TEMOS QUE DIZER-LHES  UM 'NÃO'.

AMO OS MEUS FILHOS. TENTO EDUCÁ-LOS PARA NÃO FAZEREM MAL ALGUM PARA NENHUM SEMELHANTE SEU, PRINCIPALMENTE AOS ANIMAIS QUE, POR SEREM MAIS  EVOLUÍDOS, SÃO MAIS SENSÍVEIS.  TODAVIA ACREDITAMOS, POR INSEGURANÇA PATERNA, QUE TUDO O QUE FAZEMOS AINDA NÃO É O SUFICIENTE.

E QUANDO O SUFICIENTE NÃO ESTÁ AO MEU ALCANCE, AÍ SIM, AGARRO-ME AO CHINELO E ACERTO-LHES A BUNDA.

AQUI EM CASA É ASSIM: FAZ PELO MENOS 14 ANOS QUE CHINELO TEM VÁRIAS SERVENTIAS.

VIVA A MENINA QUE ENFRENTOU O TALEBÃ!

QUERIA TER UMA FILHA ASSIM!  SE AS MINHAS CRIANÇAS NÃO CHEGAM A ESSE PATAMAR, SEI QUE TENHO GRANDE PARCELA DE CULPA.

FELIZ DIA DAS CRIANÇAS PARA ESSA CRIANÇA QUE REPRESENTA A VONTADE DE MUITAS CRIANÇAS QUE MERECEM VIVER COM DIGNIDADE.

ÀS NOSSAS DESEJO QUE APRENDAM A SONHAR COLETIVAMENTE. É ASSIM QUE COMEÇAREMOS A MELHORAR O FUTURO  QUE NOS RODEIA.

EU TENTEI ESCREVER UM TEXTO PARA O DIA DAS CRIANÇAS, MAS, INFELIZMENTE, FIQUEI SEM SUBSÍDIO PARA O FEITO.

QUE NOSSA SENHORA DA APARECIDA ME PERDOE E ENVOLVA TODAS AS CRIANÇAS COM O SEU MANTO SAGRADO, HOJE E SEMPRE.

ASSIM SEJA!

RITA LAVOYER






quinta-feira, 4 de outubro de 2012

NÃO SE ILUDA COMIGO

Só estudando mesmo para conhecermos o maravilhoso mundo dos pensantes.

Senhor, faça-me eterna aprendente. Assim Seja!
NÃO SE ILUDA COMIGO : de Léo Buscaglia

"Não se iluda comigo.

Quero que você saiba como você é importante para mim, que você pode ser o criador da pessoa que está em mim, se o quiser. Só você pode derrubar o muro atrás do qual eu tremo. Só você pode ver por trás de minha máscara. Só você pode libertar do meu mundo de sombras, do pânico, incerteza e solidão. Portanto, por favor, não deixe de me levar em conta. Sei que não será fácil para você. Uma convicção de indignidade constrói muros fortes. E quanto mais você se aproximar de mim, mais cegamente eu poderei repeli-lo. Sabe, parece que luto contra a própria coisa de que mais preciso.

Mas dizem-me que o amor é mais forte que os muros e aí reside a minha única esperança. Portanto, derrube esses muros com suas mãos firmes, mas delicadas, pois a criança em mim é muito sensível e não poder crescer atrás de muros. Portanto, não desista. Preciso de você." Léo Buscaglia