CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

terça-feira, 16 de setembro de 2008

FOLHAS SOLTAS



Seus cabelos.../Entrelaçava em meus dedos/Macios...queria senti-los/Por entre minhas mãos.
Eu li o livro Folhas Soltas de Edson Maciel. Também li o artigo do professor Hélio Consolaro( Folha da Região –Caderno Vida –Entrelinhas 14/09 “Razão para viver”) O poeta Edson Maciel é homem, primeiramente, no sentido do ser. Sabe dizer o que sente porque sabe ser o que é. ...Uma brisa suave/confundia-se com nossa respiração/E quando percebíamos/Estávamos entrelaçados. Antes de ser romântico precisa coragem para sê-lo. Olha, não é qualquer homem que a tem e muitos ainda não se descobriram e não sabem de suas finalidades, quanto mais funcionalidades. Eu te proponho sairmos por ai/ De mãos dadas...como fazíamos/ Sem pensar em mais nada/ Só vivendo aquele momento. O romântico, que primeiro precisa ser homem, senão não é nada, torna-se poeta, é conseqüência. A silhueta era de mulher/ Meu coração acelerou/ Porque para minha surpresa/ A silhueta desenhada era sua. Isso conclui o ciclo do amor. São 360 graus. Sabe o que é isso, não sabe, caro leitor? Explico. Sai de si e volta ao mesmo lugar enlaçando os meios, envolve-nos. A Mulher- Você não pode entrar em mim/ Sou Feliz assim/ Sou livre; faço o que bem quero/ Não pode me trazer felicidade / E não usa expressões à toa , não copia daqui, nem dali, não plagia, é plagiado porque o poeta, que é homem, sabe ser autêntico. As coisas do amor são sólidas/ Na sua própria fragilidade/ E quanto mais procuro evitar/ Mais me torno seu refém? A cura do homem, caro leitor, está nas palavras. Expresse-as. Tire-as de você da forma que souber. Faça como o Edson. Faça poema e revele-se para uma mulher. Amo você fulana/ Continuo só... e você?/ Ah...ninguém irá te amar mais do que eu/ Preciso de você. Isso é ser poeta, isso é ser romântico, isso é, antes de tudo, saber ser Homem, como o Edson Maciel que encontrou “ Razão para viver” porque é maduro o suficiente para descobrir que ninguém vive pra si. Ao contrário, tomaria antidepressivos esperando uma “Razão para morrer”. Agora deixo uma pergunta, caro leitor: Se quem ama nunca é feliz porque está sempre amando a pessoa errada significa dizer, por acaso, que estar sempre FELIZ é estar ao lado de alguém que não amamos? Quem está enganando quem nesta resposta? Fazer de conta : Vamos fazer de conta/ Que você ainda é minha.../Que eu ainda sou seu.../Meu Deus...é preciso fazer de conta.
É nada, caro leitor, não faça de conta. Conta o que faz, revele-se e ame sem fazer de conta porque amar e ser feliz é bom demais da conta.
Texto publicado no Jornal Folha a Região em 16/09/2008.