CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

domingo, 19 de junho de 2016

PROTEGENDO NOSSA REBELDIA

Daí porque eu não posso parar de conviver com os jovens. Podendo, assistam ao filme "Edukators", de Hans Weingartner.


terça-feira, 7 de junho de 2016

SOBRE MEUS ANOS-LUZ


O SER PERFEITO

                             

                A pessoa não nasce ídolo. Ela torna-se ídolo pelos seus feitos. Conquista legiões, vira rei, deus, imortal.
            Há, dentre a multidão de ídolos, um superídolo, e é ele o destaque nestas minhas singelas linhas.

            Sensível, ele é um extra-humano.    Dispensa seguranças, pois sabe que é respeitado por todas as classes. O que ele tem são seguidores.  Nem se importa com o prestígio que conquistou e com o que mais vier a conquistar. Ele é gente antes de tudo. 

           Superou obstáculos como um bom competidor supera, fez de suas conquistas pódios para outros competidores. Reparte o que ganha porque conhece a necessidade do outro, por ter sido exatamente a necessidade o que mais lhe sobrou na infância.  Fez do altruísmo a carreira da sua alma; não revela à sua mão esquerda o que faz a sua direita, pois permanece vivo para plantar, colher e repartir. “Aquele que não vive para servir, não serve para viver”  está no bojo de sua filosofia.

           Conseguiu desprender-se das posses do ouro, repudia a aquisição de dinheiro fácil e prega que a distribuição da produção deve ser igualitária. Para garantir o poder da coletividade, e que ela viva de forma cívica, planeja desdobrar-se e unir meios que combatam todos os tipos de guerras, porque sua terra, sua gente e a vida dela são as mais belas e as mais queridas. Tendo conseguido o posto não se importará em deixá-lo, contanto que tudo se mantenha em ordem e progresso após sua saída.

          Porta-se varonilmente em todos os momentos difíceis. Suportou e suporta o peso das injustiças e traz em si os aprendizados que conquistou com o tempo – implacável dominador de civilizações e homens – de quando fora entregue a juízes ferozes.                     

            Considera-se instrumento das Mãos do Divino Senhor, e se peca por sua deficiência humana, não tarda em tornar pública sua fraqueza a tempo de se  corrigir perante sua legião de seguidores, provando que seu heroísmo é sustentado pela humildade e educação que recebeu no seio da família.  É pessoa bondosa, confiante e acolhedora  dos excluídos; tenta fugir  da ignorância por saber  solicitada  por muitos. E pelo povo, tornou-se operário oculto nas oficinas da vida; passa dias e noites na labuta, planejando em benefício dos que sofreram todos os tipos de furtos, porque é o mais pobre o sangue que lhe corre nas veias.

            Imaginativo e entusiasta, não  nega o esforço braçal em favor do seu próximo.  Para ele não existem tarefas maiores e nem menores, são todas elas artes que dignificam os homens. E é para os homens que este ídolo luta  porque quer implantação de novas leis que nos assistam: os fracos e oprimidos.  

           E será este ídolo ainda mais respeitado pelas leis que implantará e pelos outros feitos que realizará. O herói que alcançará mais evidência pela sua índole  e será mais amado do que já é. A comunidade  será o seu conjunto de serviços, gerando – para ela –  riquezas e experiências, pois distribuirá o estímulo do seu entendimento e de sua colaboração com todos, respeitando de todos  as suas diferenças.

             Ele é um ídolo porque fez e fará do povo o capital mais agraciado  da sua vida.  O ser perfeito. O nome dele é “POLÍTICO EM CAMPANHA”: o semeador benemérito do futuro onde conseguir governar. Ele aparecerá - uns novamente, outros novatos -   nas mídias, com sua sem vergonha logorreia. 

            Como sempre, fico extasiada por ouvir ou ler tanta dignidade sobre uma só pessoa.  De fato, ela é a boa. Ruim sou eu que não acredito e nem voto nela.


Rita Lavoyer