CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


quinta-feira, 11 de outubro de 2012

AUTORIA- RITA LAVOYER - Voz/arranjo José Renato Gimenez e Mário Carteado

Acreditem em mim.


Papai, não grite mais!

Papai, não faça assim!

Mamãe já me deu um tapa

Que eu não pude reagir.



Papai, fico contente

Quando volta para casa.

Eu chamo a sua atenção,

Mas você não me abraça.



Papai, sou tão sozinho,

Fico sempre isolado.

Não tenho um amigo

Quero você ao meu lado.



REFRÃO

Mamãe, eu sei que moro

Dentro do seu coração.

Mas quero que entenda

Que eu não sei me defender.

Eu tenho um brinquedo

Que se chama confiança.

Brinque no meu mundo, pai,

Cresça até virar criança.



Outro dia eu ouvi

num programa da T.V.

Que a família é a base

para a criança viver.



Mamãe, nunca me negue

o brilho do seu olhar

eu não sei o que é casa

Mas você é o meu lar.


Mamãe, não bata mais

Antes de me ensinar.

Eu só posso aprender

Se você acreditar.


REFRÃO


Papai, não sei o que

significa o que diz

que eu preciso virar gente

Se eu quiser ser feliz. bis



Vocês me dão presentes

Que não são do meu perfil.

não sabem pra que servem.

Eles são brinquedos frios



Papai, mamãe, lhes digo:

Obrigada porque vim.

Ainda sou uma criança.
Por favor, cuidem de mim.

RITA LAVOYER

esta canção compõe o CD- Bullying não é brincadeira
autoria das letras: Rita Lavoyer
Voz e arranjo- José Renato Gimenes e Mário Carteado.

Obs- não conseguir postar a música.




2 comentários:

Célia Rangel disse...

Rita! Fantástica é você também como letrista de uma música que cala fundo... Da alma de uma criança para a nossa, hoje, adulta, mas que um dia também foi criança! Parabéns!
Bj. Célia.

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Nossa, emocionante, Rita! Pena que não deu pra postar a música, o conjunto deve ser sensacional. Destaco da letra: "cresça até virar criança". Muito bom, parabéns.