CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


quinta-feira, 16 de outubro de 2008

A FLOR AZUL




Assim como os períodos épico, lírico e dramático se seguiam um ao outro na História da poesia grega, assim revezam- se na História universal da poesia dos períodos antigo, moderno e unificado. O interessante é o objeto da minus-poesia. Em Goethe parece ter-se instalado um cerne dessa unificação – Quem adivinhou o modo de seu surgimento deu a possibilidade de uma História perfeita da poesia. Novalis. Frag.54 - Pólen .


Friedrich von Hardenberg, conhecido por seu pseudônimo literário, Novalis, foi um dos principais representantes do romantismo germânico, fins do século XVIII. Ainda jovem, tornou-se próximo do círculo dos Sturm und Drang, tendo contato com Schiller, e os irmãos Schleger, Goethe e Herder. A obra de Novalis é um canto à integração mística entre o espírito e a natureza. Sua influência foi determinante na poesia romântica européia. Foi participante do círculo de Jena (1799). Os integrantes desse círculo dirigiram-se aos estudos da história, da crítica literária e às reflexões filosóficas. O “eu” era o assunto sobre o qual esses autores trabalhavam. O “eu”, como sendo a própria origem do mundo e união de todas as coisas, nascendo uma perspectiva voltada para o todo, tornando a visão dos românticos desse círculo mais aberta. Após a morte da noiva Sophie von Kuhn, em 1797, Novalis compôs a obra Hinos para a Noite, nos quais se revela um místico exaltado, em prosa intercalada com versos. A obra é uma celebração da morte como passagem para uma vida superior ante a presença de Deus. Em 1798, Novalis escreveu a série de fragmentos filosóficos e poéticos reunidos em Die Lehrling zu Sais ( Os discípulos em Saïs) Blutenstaub (1798; Pólen) e Glauben und Liebe (1798; Fé e amor). Os textos propõem, em estilo obscuro e hermético, uma interpretação alegórica do universo. Sua fusão de esoterismo e religiosidade encontrou plena expressão no ensaio Die Christenheit oder Europa (1799; Cristianismo ou Europa), sobre a unidade essencial das igrejas cristãs.
O prestígio de Novalis chegou ao auge com a publicação dos poemas religiosos Geistliche Lieder (1799; Cantos Sagrados). Novalis morreu em Weissenfeld, em 25 de março de 1801, antes de completar 29 anos. Um romance inacabado, Heinrich von Ofterdingen, espécie de romance de formação, narra a vivência de um jovem em busca da poesia. O sonho é o ponto de partida da viagem de aprendizado do herói, no qual aparece a “flor azul”, símbolo do anseio do romântico. Esse romance foi publicado um ano após sua morte. Falei, meu deus!
complemento do texto "Quero falar sobre a flor azul" publicado no Jornal Folha da Região em 20/07/2008. RITA LAVOYER

Nenhum comentário: