CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


sábado, 28 de março de 2009

MULHER - FLOR-AZUL DA POESIA.



Coluna "Mulheres" Jornal Folha da Região - 28/03/2009


Quando eu era bem novinha mesmo, tinha uma vontade enorme de ter uma roupa azul . Não importava o modelo, mas tinha que ser azul. Um azul que transmitisse uma claridade de paz. O tempo passou bastante e não havia posto, ainda, a roupa azul. A vontade ficou na alma e aumentou ainda mais quando a desejei com uma jóia de pedra azul. Roupas compradas para a necessidade nunca foram a da cor desejada.
Na primeira gravidez eu não tive aquela roupa azul. A ocasião pedia roupas especiais e as que eu tinha me bastavam, eu agradecia. No dia do meu aniversário, nasceu o meu filho lindo com olhos de jabuticabas. O tempo passou mais um pouco e não levou embora o desejo da cor. Uma filha eu teria e a vontade daquele tom com claridade de paz gerava junto com ela. Foi então que eu tive condições de adquirir o azul para enfeitar o meu corpo tão belamente grávido. Eu tive três azuis. Tinha que ser vestido e não aceitava outra peça. Comecei a me achar a grávida mais linda dentro dos meus azuis. De cortes, simples e singelos, caiam perfeitamente na minha silhueta de mãe.
Satisfeita a minha carência de azul, desejei um conjunto de saia e blusa para gestante na cor rosa com muitos laços. Desenhei o modelito e pedi para fazê-lo. Tinha lacinhos que não acabavam. Era uma grávida usando roupas para bonecas. Depois que os meus filhos nasceram não parei mais de escrever. A minha cor azul virou poesia; a rosa, virou a amante das mulheres que eu gosto de ser.
Para as minhas e todas as mulheres que vocês também são:

“FLOR AZUL”
“Todas as flores têm as cores que Deus lhes deu./ A minha mulher é de um azul tão lindo/ É a flor mais linda que a aquarela escreveu./ Oh! Mulher linda, flor maravilhosa/ Todo o seu colorido é azul cor de infinito./ Ela embeleza todo céu e todo o mar/ Se veste toda de azul pra me amar, pra me amar./ É o meu carnaval, fantasia e purpurina / É a flor brilhante de azul com serpentina. /Que alegria é a minha mulher,/ Uma flor do campo com azul cor de encanto./ Canto ela aqui, canto acolá./ Canto o seu azul que só sabe encantar./ Minha mulher, minha fortaleza/ É uma jóia rara, é uma flor azul-turquesa./ Por ela sou muito orgulhoso/ Minha flor-mulher é de um azul maravilhoso./ Ela tem um tom que aquece o meu frio/ Minha flor-mulher tem a cor azul-anil./ O perfume que ela tem me leva ao céu./ O gosto da minha flor é azul da cor do mel./ Minha flor-mulher tem o azul do esplendor. / Deus fez todas as flores com o azul da sua cor./ Oh! Mulher linda, flor maravilhosa/ Todo o seu colorido é azul cor de infinito./ Eu não sei viver sem o azul da sua boca/ A minha mulher, entre todas, é a mais louca./ Essa flor-mulher torna o azul todo brilhante/ No leito de suas pétalas me faz todo amante./ Por essa cor dela eu me vejo enlouquecido./ Hoje, só sou homem porque visto o seu vestido./ Nele eu me envolvo porque o azul só me compraz./ A minha mulher é toda ramalhete com a cor da paz./ A jóia que queria para adornar a tua cor/ são os olhos da nossa filha, fruto do nosso amor./ Esse homem que há em mim é o ramo da minha flor porque ele é tão Mulher quanto o nosso Criador.”

Mulher, vista-se de céu e encontre em teu ser o motivo da paz ao mundo!

Imagem: flickr.com

Nenhum comentário: