CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura


terça-feira, 24 de setembro de 2013

ÓLEO DE BALEIA- AZUL




Ele a odiava por amá-la tão magra. Era a própria mala que ele carregava invisível.
Pela transparência da pele da mulher, podia-se enxergar as veias dela e o tutano encravado naquela forma calcificada.
O marido sentia desconforto ao penetrar seu membro rijo naquelas paredes, podendo sentir ranger o púbis.
Depois de tanta esfoliação indesejada, resolveu desabafar com um amigo o mal-estar que sentia enquanto amava a mulher, no que este recomendou-lhe lubrificá-la inteira com "óleo de baleia-azul" ainda virgem.

_ Onde eu o encontrarei? - Retrucou amargurado o marido.
_ Não o encontrará, pois somente eu o possuo – respondeu-lhe o amigo.

E assim, o próprio amigo encarregou-se de levar o óleo todos os dias àquela esposa de ossos expostos.

A mulher revigorava-se e o marido a sentia mais úmida, generosa e encarnada; passou a ser frequente a visita do amigo àquela casa antes da chegada daquele homem seco por amor.

Marcas roxas passaram a ser constantes nos joelhos e nas palmas das mãos da esposa, intrigando aquele marido, que a questionava. Como não conseguiu nenhuma resposta, decidiu pôr fim à entrega daquele óleo voltando às suas domésticas relações.

Diante daquela seca, a mulher foi se definhando e, sem mais nenhum viço, secou.

Odiou-a ainda mais por desejá-la jazendo esquelética.
Sentindo que a perderia,desesperado, procurou o amigo para ressuscitá-la. Encaminhou-se até a casa dele, chamou-o mas não foi atendido. Angustiado e ansioso pela melhora da esposa, o marido invadiu o imóvel e encontrou o amigo, no quarto, afogado em um aquário, vestindo o mesmo terno azul de sempre.
Rita Lavoyer .

12 comentários:

jhamiltonbrito.blogspot.com disse...

Se bem entendi, o homem baleia-azul hoje em dia é conhecido como Bernardão? rsrssss
Tem muito marido que deixa sua esposa, mesmo lindona, ressecada moral e emocionalmente , tornando-a candidata ao óleo da baleia azul...olha só o nome que agora se dá para o caso

ALAORPOETA disse...

Rita, o seu conto me fez lembrar Franz Kafka (A Metamorfose foi um dos livros mais intrigantes que já li) e Gabriel Garcia Márquez (Cem Anos de Solidão me fez ver o mundo com outros olhos), e principalmente, o brasileiro Murilo Rubião (um dos grandes contistas do Brasil, perfeccionista, deixou apenas 33 histórias, que reescreveu intermitentemente, e colocou o seu nome na história da literatura brasileira. Se eu fosse contista gostaria de escrever como ele). Todos, essencialmente, com as peculiaridades de cada um, representantes do realismo fantástico, narrativas de fatos inconcebíveis, surreais e que causam estranhamento no leitor, deixando a ele extrair algum sentido realista do sobrenatural, encontrando significados ocultos, mas, na verdade, o absurdo é apenas uma metáfora do próprio absurdo da condição humana. É por aí que senti seu conto. Parabéns. Continue por esse caminho. É mágico.Foge ao comum. Tem poucos representantes, mas muitos leitores em potencial. É o caminho...

Anônimo disse...

Rita

Tirando de letra.

Parabéns.

Wanilda Borghi.

Jorge Sader Filho disse...

Muito interessante este óleo de baleia azul. O efeito é quase imediato, e a constância engorda, traz bem estar e algumas marcas roxas nos joelhos e nas mãos.
Este tipo de ginástica esfola mesmo.
Cessou, vem a ressaca. Volta tudo ao normal.
E o salvador vai para o aquário.
Que imaginação fértil, Rita!

Carinho,
Jorge

Ventura Picasso disse...

No meu olhar o teu conto, pousou no muro da malícia. Não sou geômetra, mas fui bom em geometria. Acabei de imaginar um triângulo regular. Faltando um dos lados, sobra uma reta abandonada, sumindo lentamente no infinito...
Excelente conto - espero ter contribuído com mais uma interpretação -
Parabensssssss

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Totalmente surreal, com uns toques de humor negro e traços kafkanianos, como bem observou o Alaor. Gostei demais deste seu texto, Rita. De parabéns!

Heitor Gomes disse...

Rita, muito legal seu conto. Logo vc vai começar a apanhar.Sua pornógafa. Amem. heitor gomes.

Pedro Du Bois disse...

Rita, gostei do desenrolar do conto, até seu final desencontrado (para quem?). Abraços, Pedro.

Andrea R. Martins Corrêa disse...

OI Rita
Muito bom o texto, excelente qualidade e reflexão.

um bj

Helcio Almeida disse...

Oi Rita,
Juntando a sexualidade com a sabedoria popular, o ditado simples que diz que santo de casa não faz milagres é o resumo do teu conto. Mas, ele é revestido de uma atmosfera sensual perfeita e o afogamento do milagreiro pode ter duas conotações. Arrependimento ou nostalgia.
Parabéns por deixar no ar a explicação.

Antenor Rosalino disse...

Rita, há um magnetismo incomum na beleza irretocável desse conto, que atribuo, principalmente, ao fato de você deixar em baila, a critério do leitor, uma explicação para o caso, o que relembra Machado de Assis em alguns de seus romances. O amor, a lascívia e uma interrogação: eis a tríade apaixonante do contexto. Aplausos!

Rita Lavoyer disse...

Antenor, quero, quem sabe um dia, conseguir comentar igualzinho você.

Hélcio, esse negócio "de santo de casa não faz milagre" kkkk - caiu do céu pro conto!

Bom demais!!!!!!!!!