CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


sábado, 18 de fevereiro de 2012

SÃO PEDRO NÃO SERVE PARA REI MOMO


Com todo respeito que eu tenho pelos religiosos, por São Pedro e pelos araçatubenses em geral.


Quem um dia trai, no outro será traído. Essa máxima não aprendemos em folhetins, mas na história dos efeitos. E que o galo cante três vezes antes que eu desaprenda isso. E por falar em causa, a ginástica laboral vem ganhando espaço nas investidas da vida. Viu, São Pedro? O pé que o senhor levou no traseiro? Esqueceu-se da égide dos folgados? Quem não chora não mama, já dizia um filósofo mamão. De tanto que chorou, chorou! Mamou, mamou, mamou. Mamou tanto que agora chora, chora, chora porque a gordura não vai embora. Quer emagrecer não sabe como?

Então, São Gordo, tomaram-lhe a chave de Ouro do Céu, e distribuíram-na em réplica de cartolina envolta em papel dourado, desse que nós interpretamos no palco do teatro da vida.

Gostou? De tanto ficar filosofando no reino celeste, neste carnaval você não serviu nem para Rei Momo. Não ganhou a sua chave da folia, vai passar a festa mais popular do mundo sem pão e circo. Essa punhalada que você ganhou vai cantar três dias, não na Missa do Galo, mas na sua cabeça! Pedrinho, dá tempo de recuperar o que você perdeu.

Pedrinho, ajoelhe e reze, meu filho! O nosso deus daqui tá que tá, e nós vamos ter que dar, ter que dar! É assim que se dança nesse carnaval! Aqui não tem pecado, cada um senta em cima do próprio rabo, desses que nascem em nós nessa época.

Não conhece fantasia não? Vista-se de anjo, seu cabra da peste! Quer conhecer uma folia que o tire da esfera? Arrume um par de asas, venha visitar a Terra Tuba. Aqui irá aprender que o fervor da fé a pino faz a urna derreter nas sombras dos araçás.Venha logo, seja cabra macho, mas macho pra valer, senão vai virar chupa-cabra e não vai dar nem tempo de se esconder. Vai deixar o povo com o palito nas mãos?

Pedro, fique ‘tranqui’, aqui tem muitas Pedras, forme com elas um bloco e nesta profania acerte na cabeça. Dessa jogada vai ganhar uma bolada, entendeu a sacada?

Pedrinho, meu camarada, desce logo para a nossa exposição, se socialize, exercite-se antes que a folia acabe. Depois não vem reclamar de que não foi convidado, heim! Você vive nessa vida de ermitão! Vai acabar esquecido sem ganhar nenhuma flor, porque as daqui estão se afogando na lagoa, por causa dessas lágrimas de crocodilo que você vive derramando sobre elas. Pedrinho, entre na fila e pegue logo a sua fantasia, pode ser a de Palhaço mesmo. Qual o problema de ela ser repetida, já que a de Deus apareceu um para pegá-la primeiro? Tomou!

Pule aqui, mostre do que você manja, porque neste carnaval, Pedrinho, meu momo, me desculpe, mas você só vai ficar com a canja. Abre os olhos, rei destronado, quando pensar em dizer “mamãe eu quero mamar”, já terá gente demais pendurado na sua mamadeira, e essa gente não vai gostar de ouvir dizer que não vai dar.

Vai ter que dar, vai ter que dar! Xiquidum, Xiquidum, Xiquidum, Xiquidum ! Esse é o nosso teatro!

Ah, Pedrinho Momo, se me vir por ai passe reto. Não quero fazer companhia para você tão cedo. Neste período tão sério, de festa tão humana, eu vou para avenida e sair dela aliviada, para conseguir, no resto do ano, levar a vida na piada.



Rita Lavoyer é membro da Cia dos blogueiros.



16 comentários:

Célia disse...

Ai... Pedrinho... se eu te pego...
Rita, você anda impossível!! Dei asas à minha imaginação e pensei no dito cujo destronado, sobre um carro alegórico... cantarolando!!
Ri muito e pensei: - qual será a água da Rita? Abraço, Célia.

Rita Lavoyer disse...

Olá, Célia! A água de hoje é de lágrima! Fiz um desabafo como cidadã araçatubense que não gostou do que leu no Jornal. Não tenho nenhum preconceito religioso, respeito demais os Evangélicos.
Agora, fazer fantasias para amarrar votos, chamar de cabresto uma chave feita de papelão fajuto!?

Estou aborrecida com o papelão de todas as formas.

Muito obrigada por vir aqui, ler o meu desabafo de cidadã que levou um um soco na inteligência.

Jorge Sader Filho disse...

"Mamãe eu quero.
mamãe eu quero...
mamãe eu quero mamar".
Antigona, mas sempre em moda!
É Carnaval, vamos nessa!

Beijo,
Jorge

Rita Lavoyer disse...

Jorge, "Mamãe eu quero...
vai ter muita gente querendo nas urnas..."

Grande abraço, Jorge.
Feliz carnaval para você.

jhamiltonbrito.blogspot.com disse...

Amiga, nao tenho procuração pra defender os evangélicos mas a culpa pelo circo armado nao é deles. Em outra circunstância poderiam entregar a chave sim pois entregaram-na para papas que vieram ao Brasil...mas, em pelo carnaval e época de eleição!!!!!
Por mais que eu goste do cidadão...num dá.

Rita Lavoyer disse...

Pois é, José Hamilton, a nossa intenção não é defender e tampouco provocar qualquer seguimento religioso.
A intenção é gritar o mais alto possível para que os que se acham senhores do poder, por serem retardados, que ainda tem gente que pensa, que grita e que não se submete a tamanha afronta, julgando os que estão do lado de fora iguaizinhos aos que ele mantém nas rédeas.

Embora ele seja o meu vizinho, com o quem eu pego o elevador para chegarmos ao térreo, fico bem à vontade para criticá-lo cara a cara.
Ele que me pegue no elevador por esses dias, ele vai ver só com quantas palavras ele v ai morrer de vergonha de cada burrice que ele apronta.

Tá pensando que eu sou burra??????????

Pois eu, já estou desgostando!

A minha vontade é gritar para o mundo inteiro ouvir, mas há nos meus gritos tendêncis a prejuízos aos que me ajudarem a gritar.

Cada um grita do jeito que sabe.

Helcio disse...

Politicos Rita não têm filtro. Em busca de votos para garantir a impressão de poder, fazem qualquer negócio, mesmo aqueles em que a fantasia de palhaço lhes caia como luva. Minha curiosidade me obriga a pensar o que dizem em casa a sua mulher em filhos? Será que eles vêm a tristeza dos atos?
Liga não. Cada um dá o que tem.
Helcio

Rita Lavoyer disse...

Hélcio, obrigada por ler as minhas investidas.
Mas ando estranhando essas coisas estranhas. Você entende,né!?

VELOSO disse...

TAMBEM RESPEITO MUITO TODAS AS RELIGIÕES MAS ME REVOLTA VER TANTA GENTE TIRANDO VANTAGEM DA CREDULIDADE DO pOVO BRASILEIRO!
Rita Parabens pela Crônica desabafo tudo de bom em tudo e sempre

Rita Lavoyer disse...

Veloso, meu querido. Se você retornar aqui, quero que saiba que por diversas vezes tentei comentar no seu blog, mas eu não consegui.Não significa que eu não o visite.
Então, quanto a crônica: Pode uma coisa dessa?
Bom, mas como é carnaval, estou tentando pensar nessa folia , mas como brincadeira.

Rita Lavoyer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ventura Picasso disse...

Oi Rita,
Postei nos leitores da FR:
"Não acreditei na chanchada! Neste carnaval, fico com cara de palhaço, pinta de palhaço, roupa de palhaço. Foi o que eu arranjei pra mim...Poupe-nos majestade".
Na foto que ilustra a sua crônica não há evangelicos. Ali reunidos são os comissionados caciques de algumas seitas clandestinas - religioso não se mete em palhaçada - Não precisamos nos retratar à nenhuma corrente religiosa, mas eperamos que o MP localize a intenção do alcance dessa propaganda, ordinária, eleitoral antecipada.
Abração

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Misturar São Pedro com rei Momo... Uma lavra desse naipe só podia ser by Mrs. Lavoyer...
Bom carnaval, querida.

Maria Luzia disse...

Rita, Muito querida:
Realmente, como evangélica detestei o que vi na Folha da Região. Acredito que houve desagrado da maioria.Os Lúcidos não votarão por causa deste espetáculo. Edigilson é um grande pregador,mas não deu fé da subliminar exploração política!Penso. Estamos vacinados contra afagos pré-eleitorais. O prefeito receberá votos compatíveis com a sua gestão; Chave de papelão: NÃO! Jesus não precisa disso. Não há do que se desculpar.Oremos pelos Pastores do rebanho de Cristo Jesus, seja de qual denominação for."Errar é humano, perdoar é divino." Um abraço, Maria Luzia

Rita Lavoyer disse...

Picasso, eu li o seu comentário no Jornal de sábado.

Marcelo, é o que a gente consegue diante de tanta comedia.

Maria Luzia, minha Lúcida amiga.Obrigada pelo afago das suas palavras.

Ventura Picasso disse...

Luluzinha
Colaborando:
Foi o papelão da chave! (Ridiculo)