CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau.

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau.

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras.

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Lu Alckmin apoia campanha de prevenção ao Bullying






Minha senhora, com todo o respeito que tenho pela sua pessoa, peço-lhe desculpas para discordar desta campanha promovida pelo governo do Estado. Queria algo mais!  O fenômeno bullying é isso que a senhora está dizendo, mas não é somente isso, infelizmente. Quando o termo caiu na banalização, ele deixou de apresenta a sua gravidade  Ele vai além de uma simples brincadeira de mal gosto, de humilhação e xingamentos.


Entendo por campanha de prevenção: evitar que algo de ruim venha a acontecer.


Tudo bem, não vamos conseguir consertar o mundo, mas... e os que já estão acontecendo, como o estado vai tomar providências pra resgatar as vítimas do silêncio em que elas se encontram. Porque sabemos, a senhora e eu, que o bullying é silencioso e não adianta mais enganar o povo com essas historinhas que todos já conhecem sobre ele porque não vai resolver nada essa campanha para tentar fazer o cidadão acreditar que surgir um ‘remédio’ para o situação!

E os casos de bullying que já estão acontecendo, que vêm acontecendo de há anos e anos, o estado vai tomar qual providência?

Sabemos, a senhora e eu, que a vítima precisa de tratamento psicológico.

Sabemos, a senhora e eu, que uma campanha pode acontecer no seu governo, e nos demais, quais as providências o seu governo está tomando para que esta campanha continue?

Sabemos que há projetos de deputados na Câmara a serem votados para que uma Lei seja sancionada pelo Governador para que se INSTAURE EFETIVAMENTE UMA CAMPANHA CONTRA A PRÁTICA DE BULLYING NAS ESCOLAS ESTADUAIS, e não apenas preventiva como o governo propõe.

Sabemos que o ex-governador José Serra engavetou por longo tempo projetos de leis já aprovados pela câmara, simplesmente para que a lei não existisse para UMA CAMPANHA CONTRA A PRÁTICA DE BULLYING NAS ESCOLAS ESTADUAIS.

Pergunto: Este governo pretende cometer o mesmo erro, roubando de nós, cidadãos que precisamos ver nossos filhos em paz dentro das escolas, o direito de ter uma lei desta grandeza aprovada no Governo Geraldo Alckmim?

Enquanto campanha eu entendo que o governo não necessita contratar profissionais que tratem sobre o assunto entre os alunos e professores dentro da escola. Acha que professores mediadores dão conta!?

Para tratar essa questão tão delicada, o governo precisa colocar dentro das escolas assistente social, psicólogo, advogado, psicopedagogo, ortopedista, religiosos de todos os credos entre outros profissionais que os professores da rede estadual de ensino não conseguem ser, simplesmente porque não estudaram pra isso, mas para professores. Eles têm o direito de ser professores.

Li que o Acessa Escola, vai integrar a campanha para orientar os cerca de 8.800 estagiários. São estagiários dessas áreas que eu citei acima?

O professor vai ter que abraçar mais essa causa sozinho? E a lei? O governo Geraldo Alckmim terá essa coragem de beneficiar as gerações futuras?



O que me frustra é saber que há  um quadro de 250 mil professores na rede estadual de ensino e não unirem forças para se fazerem respeitar. Por que se submetem a isso? Os professores também não precisam de uma campanha que os valorize, para eles terem força para suportarem mais essa carga nos ombros?

Sobre a resiliência, já nem sei mais se cabe no texto.

Ainda que seja apenas uma campanha, despertou a preocupação. Vamos Nessa!
Que Deus nos ajude! Estou dentro!

Rita Lavoyer

3 comentários:

Jorge Gondim disse...

Muito boa sua matéria e verdadeira um grande abraço amiga.

Célia Rangel disse...

Demagogias governamentais... e suas primeiras damas... é um tapa na cara da sociedade... Quando quis algo diferente e bom tive que ir à luta como profissional da educação. Acredito não estar diferente. Apenas que, hoje a desqualificação educacional é gritante... finge-se que se educa, finge-se que se aprende, finjo que lhe pago bom salário e com toda essa hipocrisia, finjo que honro meu voto cidadão!
Abraço, Célia.

Jorge Sader Filho disse...

Estátudo muito deteriorado em grande parte da sociedade, Rita.
Estou de pleno acordo com suas ideias. É preciso um basta!

Carinho,
Jorge