CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura


sábado, 12 de julho de 2014

A COPA DO MUNDO NO BRASIL DO FUTEBOL



Miguel Nicolelis -Copa do Brasil 2014
 

Confesso que esperneei na abertura desta Copa do Mundo do Brasil. Achei a abertura pra lá de mau gosto, uma apresentação bizarra para ser apresentada num campo onde o mundo inteiro estaria vendo. Sei que o gramado deveria ser protegido, pois logo em seguida aconteceria o jogo do Brasil contra...  contra quem mesmo o Brasil jogou na abertura da copa? Ah, com a Croácia, veio o nome da danada no cérebro agora.

Mas daí fazer um show furreca com duas cantoras dublando e um careca dublando atrás não me convenceu. Queria ver algo bem brasileiro na abertura. Não vi. Não vi também como gostaria de ter visto a invenção do neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis.

Nos jogos seguintes eu  sofri assistindo àqueles jogadores brasileiros fazerem , ou melhor, deixando de fazer em campo o que eu queria ver no futebol brasileiro que eu via no século passado.  Cruzes!  Que saudosismo nessa altura da vida! Mas confesso.  Adorava torcer e ver o futebol acontecendo em campo. Aqueles jogadores feios daquela época jogavam um bolão. Teve uma ocasião em que eu até pequei contra a seleção toda. Disse, perguntando: Para ser jogador da seleção brasileira tem que ser feio e analfabeto? Chegava doer os olhos e os ouvidos quando eu os via falando. Muito defeito em um só, eu falava.

Então o visual e a tom das respostas dos nossos jogadores melhoraram pra caramba. Os menininhos são boa-pinta, sarados, pele bem cuidada e até conjugam bem os verbos, fazem combinações inteligentes nas frases que reúnem para responderem às perguntas dos jornalistas. Puseram fim aos jargões: “Graças a Deus, Se Deus quiser, Com certeza...”  Mas somente visual e bom despreendimento na conversação não são suficientes para encarar uma bola rolando no campo onde uma equipe organizada e bem treinada vem com propósito de enfiá-la na rede do adversário boa-pinta, sarado e de pele bem cuidada.  Também saber reunir frases não reúne jogadores em campo, não forma equipe, não joga o jogo, não faz o show.

Então foi assim que acabou. As belezas tombaram em campo, os anjos de cabelos encaracoladinhos choraram e outros sem caracóis também terão muitas histórias para contar desta trágica apresentação da seleção brasileira na Copa do Brasil de 2014- a copa das copas-, por mais distantes sejam os mundos onde eles forem apresentar a futebolística  que lhes rende milhões de dólares.

Brasil 1x7 Alemanha - Copa do Brasil 07/07/2014
Triste, enquanto as estrelas apagam seus brilhos em lágrimas de frustrações  num campo onde a bola pequena e cheia de ar vai e vem, o mundo, mudo, vê Israel massacrando bebês, jovens, crianças, mulheres, pais de famílias palestinas.

Enquanto que na Copa do Brasil a bola rola, lá a bola explode tombando vidas.

Como nada posso fazer, nem lá nem cá. Agradeço ainda por estar viva. Ainda bem que acabou para nossa seleção. Já não aguentava mais vê-la em campo e sofrendo por ela.
Ainda que eu tente não conspirar.  Será que daqui   algum tempo começarão a revelar os fatos para esses episódios tão sem explicações da seleção brasileira de 2014?

Brasil e Alemanha
Os meus respeitos e silêncio às vitimas dos ataques israelenses contra Gaza.  Os meus parabéns ao doutor Nicolelis porque o paraplégico que ele apresentou no campo fez muito mais que os jogadores sarados que , supúnhamos, representariam o Brasil em campo.

Acabou Copa do Brasil 2014. O Brasil volta a funcionar.  
-Rita Lavoyer

 

 

4 comentários:

Helcio Almeida disse...

Ainda não consegui livrar-me da síndrome do maracanazo e acho que morro com ela. Não tenho mais a profissão de brasileiro. Não tenho mais esperança.

Célia Rangel disse...

Começo / Meio / Fim ... Ridículos... Fim de Festa... Alta conta a pagar!
Abraço.

Lucimara Souza disse...

As partes bacanas na Copa do Brasil foram toda a alegria do povo brasileiro, toda hospitalidade e, claro, o choque de realidade que sofreram naquele inesquecível e histórico jogo. Foi uma forma de dizer que o Brasil não vai bem!
De tudo, o que ficou de mais belo foi o exemplo de trabalho sério, de seriedade e humildade do povo alemão.
Abraço, Rita!
Estou voltando agora ao blog, depois de quase um ano parada... rs.

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Tantos bilhões entornados ao ralo... No comments. Assino embaixo do seu texto, Rita.