CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura


sábado, 19 de setembro de 2015

SEJA UMA ÁRVORE

SEJA UMA ÁRVORE

Faça uma viagem para dentro do seu peito.
Dentro do seu peito...
Dentro do seu peito...
Veja de quantos degraus o seu  Universo é feito.
De quantos degraus...
De quantos degraus...
Desça o seu poço mais profundo,
Respire o seu lixo orgânico imundo.
Respire...
Respire...
Respire...
Quebre o cadeado do seu cativeiro,
faça isso, mas faça bem ligeiro.
Separe o seu joio do seu trigo,
queime em você o seu próprio inimigo.
Depois dessa coragem descanse três dias inteiros.
Três dias inteiros.
Três dias...
Três.
Quando voltar à vida
                                              tente ser um dos primeiros,
ser um dos primeiros,
ser o primeiro.
Primeiro!
Faça isso, mas faça bem ligeiro,
porque um outro pode querer entrar
e ocupar em você o seu lugar
para semear de novo as sementes da tristeza.
Fuja disso tudo,
fuja para a natureza.
Identifique-se!
Fixe! E fique. Fique!
Se quiser ficar faça parte dela.
Para o mundo abra a sua janela.
Seja uma árvore,
uma árvore,
uma árvore.
Faça o seu balanço debaixo da sua árvore
e embale no balanço debaixo da sua sombra.
Seja uma árvore
E descanse na sombra debaixo da sua árvore.
Seja uma árvore.


Autora-Rita Lavoyer

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Aqui fazendo minha interiorização!
Lindo poema da poesia da vida, Rita!
Abraço.

Antenor Rosalino disse...

Lindo poema, bastante reflexivo e digo de exacerbados aplausos. Meu carinho e meus aplausos.