CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura


terça-feira, 30 de agosto de 2016

VERBO CAMPANHAR


VERBO CAMPANHAR

                Bom-dia, cidadãos!  Hoje falarei sobre  cidadania.  “Cidadania”  significa, também, alguém que não “se dana” – do verbo “Danar”. Se você quiser o mal de um cidadão mande-o  “cidanar”, nesse caso já é outro verbo.  

                Já estamos assistindo  muita  gente  “campanhando” em prol dos cidadãos. Vai vendo, mas de olho aberto.  No final tire suas conclusões, inclusive sobre se esse neologismo é apropriado ou não à cidadania.

                “Campanhar” veio à minha mente. Vasculhei em todos os dicionários ao meu alcance e não achei a expressão “Campanhar” – Heureca!!   Criei nova palavra, tão bem vinda para a situação  política pela qual as cidades do país passam. 
                Mas, enfim, o que significa “campanhar”?  Seguindo a etimologia da palavra, penso, ela vem do substantivo feminino “campanha” [ do latim  campania.]

                Partindo do pressuposto de que as palavras, a partir da sua origem, sofrem modificações no decorrer da história, a expressão “fazer campanha”  eu a fiz passar  por um processo de aglutinação. Vejamos a transitividade do verbo CAMPANHAR dentro das suas possibilidades.

                Campanhar  - [do latim campana.] verbo da 1ª conjugação. Como seria analisado:
                Verbo Intransitivo -  fazer campanha, travar luta, defender ideias, despender forças para atingir um objetivo.
                Exemplo:  Os políticos  campanham no horário eleitoral gratuito e fora dele também.

                Verbo Transitivo indireto – fazer campanha por alguém, em prol de.
                Exemplo: Muitos campanham pela candidatura de quem melhor lhes servir.

                Verbo Transitivo direto – defender ideais de programa
                Exemplo: Os políticos e seus aliados hão de campanhar  os seus programas de governo.
 
            Verbo transitivo direto e indireto -  oferecer resistência, proteger, defender,socorrer.
                Exemplo: Os candidatos políticos campanham suas ideias pela vontade do povo. 

                Verbo pronominal – fazer campanha em benefício próprio.
                Exemplo: Muitos candidatos campanham-se antes das eleições e,eleitos, esquecem-se do que campanharam.  

                Analisando bem,  o verbo CAMPANHAR melhor se apresenta como sendo VERBO de LIGAÇÃO.

                Exemplo: O político campanha o seu eleitor  é o mesmo que dizer:  O político É o seu eleitor. Nesta oração é o eleitor que informa  quem é seu candidato.

                O eleitor como predicativo do sujeito  modifica o sujeito político. Dentro dessa predicação compete ao eleitor fazer valer as propostas do seu candidato, modificando-o se ele não cumprir com sua palavra de sujeito de honra.

               Com essas possibilidades, analisemo-nos se fomos, ou somos eleitores ativos ou passivos, fazendo valer nossa função nas orações de cidadania a que estamos incluídos.   

                 Será que   fui eu mesma quem  criou esse neologismo, ou  faço uso indevido de uma criação que já existe, colocando meu nome na arte, dando-me os  créditos se não me pertencem? 

                Melhor  é espalhá-lo ao mundo, para que ele seja aplicado  da melhor forma possível, inclusive de forma honesta e inteligente !

                Que o verbo campanhar”, com todas as suas possibilidades de transição, possa, de verdade, levantar questionamentos  sobre os candidatos que campanham hoje, para os que vencerem pela sua campanhação o livre  do  pejorativo significado de propaganda enganosa. 

                Cidadãos,  sigamos todos campanhando nossos ideais com a vontade de vermos  este país livre dos sujeitos corruptos, cobrando dos candidatos eleitos  o que CAMPANHARAM, lembrando-os de que para sua transitividade o POVO é seu complemento direto e indireto e a ligação entre o sujeito político e o poder.

                Enquanto eleitores e cidadãos ativos, se não cobrarmos ações desses sujeitos, continuarmos “cidanando” , rompendo a ligação entre  o verbo e a verdade.

autoria- Rita Lavoyer      



Nenhum comentário: