CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


domingo, 1 de janeiro de 2017

2017, Ano do Galo de Fogo


2017, ANO DO GALO DE FOGO – Rita de Cássia Zuim Lavoyer 

Poetiza  João Cabral de Melo Neto que um galo sozinho não tece a manhã: ele precisará sempre de outros galos; e o Horóscopo Chinês  mostra que 2017  será o ano do Galo de Fogo. Vai vendo...
João Cabral - guiado pela lógica e raciocínio -,  caracterizou-se pela busca da construção consciente do verso.  Se neste contexto o objeto é o “galo” , pela lógica, é conveniente, para este 2017, que  o homem preserve as galinhas, elas são especiais.

Galinha bota ovos, dos ovos nascem os pintinhos. Logo sem ovos não há galo. E aí, vai comer galinhas e prejudicar  o seu 2017, promovendo o desaparecimento do bicho do ano?

Diz o horóscopo que  2017 será cheio de ações inovadoras. Mas se você não agir nada se inovará.    Já não basta o tanto que nos surraram  em 2016, encheram nossos  cocurutos de galos, vai mesmo se ‘desaventurar’  na mesmice de ser objeto de rinha de cristas vermelhas e penas azuis num terreiro verde e amarelo?  Vai deixar o Galo do ano queimando de raiva e suas penas é que sairão estorricadas. Briga de galo, além de crime , é burrice e não importa, na rinha, se o galo morrer. O importante é o galista e o apostador  saírem cheios de dinheiro. E essa diversão criminosa tem dado  certo nesta terra dos Índios que teciam aqui suas manhãs, e sem tecidos que cobrissem suas  inocências assustaram-se diante das galinhas trazidas nas embarcações do Cabral – o que veio para destecer a tela tênue dos Tupis.

Há brasileiro tucado - morrendo na rinha – e, embora sem canto,  continua defendendo a escória  governista que, sem  pena, o incita às lutas sujas e destrutivas e submete-se, ainda, a cobaia para os seus “ídolos políticos” testarem seus esporões. Esse tipo de brasileiro é o ‘ovo de ouro’ que mantém a súcia no poder do galinheiro.

Galo é um bicho nada estético, desengonçado, impulsivo, pescoçudo, sem ombro e tem carne dura. Mas tem quem o deseja, principalmente se  acordar cantando nas madrugadas, na rua, na chuva, na fazenda, ou numa casinha de sapê.  Ano do Galo  também  promete fertilidade, abundância.

 Diz que a energia positiva do “Galo de Fogo” será dominante. Dependendo da potência do seu canto: vibrante. Seja galante.  Compartilhe isso com quem você ama e deixe o Galo entrar na sua vida por completo,  mas não se esqueça de pôr os pés no chão, de preferência na terra, vai que dá um curto circuito na energia do galo e mela seu ano... Depois não adianta clamar aos céus  para aplacar as consequências da sua decisão.  Nesse caso não cabem metáforas e nem adianta cantar de galo, porque o nível de tolerância do seu semelhante  pode  levá-lo direto para panela,  e o seu galo quebrará a sequência dos cantos e não tecerá a manhã com  o outro e o outro...


Busquemos construir 2017 de forma consciente, que seus versos não desmoronem e que toda poesia contida nele entrelace suas simbologias às lógicas e raciocínios  que   edificam e concretizam um mundo melhor, onde todos queiram  tecer, do nascer ao pôr do sol,  uma tela livre de armação em que  toda a Criação Divina possa circular livremente.  Desejo que a Poesia - seja o seu “ Fio do Ovo de Ouro” neste ano que precisa muito da nossa união para ser tecido a contento da Paz.    Feliz Poesia a todos! 

Nenhum comentário: