CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau.

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau.

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras.

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

FESTA DO POVO BRASILEIRO


No carnaval, no carnaval...
Não tem bom nem mau.
Não tem no carnaval...
Na rua, no salão
Ou numa pista todo mundo é igual.

Se é doutor,
não importa a cor,
ou se é lavrador
que planta o amor...
Nesta festa do povo
todos têm o mesmo valor,
porque dividem o suor
do mesmo calor.

Nesta festa de sonho, o todo é real
porque é carnaval.

O carnaval dura poucos dias
e nesta época
o Mestre pula de alegria.
Por quê?
É no profano que o homem
se torna humano.
Por quê?
É no profano que o homem
se torna humano.
Isso agrada ao Criador:
Dividirmos o suor no mesmo calor.

Oh, Criador! Oh, Criador!
Não criaste o mal.
Não criaste o mal.
Mas o homem com sua imaginação
quis pagar o bem com o bem
e inventou o carnaval.

Não vê raça, posição ou religião.
Só vê gente brilhando de emoção.
Se é rei ou vagabundo,
este povo é o nosso mundo.

É a vez de ser feliz por inteiro.
Viva o carnaval!
A festa do povo brasileiro.

Ofereço este enredo as quatro escolas de samba de Araçatuba e, em especial e com muito respeito, ao repórter desta Folha ARNON GOMES, expert no assunto. Barbaridade! O homem sabe tudo sobre o tema. Parabéns!!!
Texto publicado no Jornal Folha da região em 24/02/2009.

Nenhum comentário: