CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

quarta-feira, 29 de julho de 2009

AMOR, VERBO CONJUGÁVEL

Por que, Senhor, não escutou
quando eu te gritei?
Está cansado de praticar
a ação do salvamento?
Tenha pena deste traste que
aprendeu a amar.
Eu cumpri com os teus dez mandamentos
hoje só recebo sofrimento e abandono...
Por que amar é verbo inconjugado?
Hã? Pode me explicar?
Será que o Senhor o quis substantivo
para ser apenas mais uma coisa
para o homem consumir?
Ou ficou com medo que aprendêssemos
a conjulgá-lo e saíssemos por aí
praticando ação de amar?

Hã? Pode me explicar?

E se eu Lhe disser que amor é verbo conjugável?
Quer que eu Lhe explique, Meu Senhor?

Eu amorto quando estou só
Tu amortes , Senhor, dela ressuscitou
Ele amorte conhece porque comigo não está
Nós amortamos quando não estamos juntos
Vós amorteis , Pai e Senhor, jamais sentirão
Eles amortem a minha dor por não poder conjugar amar.

Viu só, meu Senhor, da conjugação do amor nasceu
a palavra morte.

Está vendo como eu aprendi?

Somente com a morte o amor pode ser conjugado.

Rita Lavoyer

Um comentário:

jhamiltonbrito..blogspot.com disse...

Sim fiiilhaa, eu te escutei.Naquele momento eu te carregava no colo.Quem disse que é inconjugado se vc mesma o conjuga diariamente em sua vida.Da conjugação do verbo amar , o que pode ter nascido é a morte terrena: Eu vim e dei minha vida para resgatá-los para a vida eterna. Conjuguei este diabo...desculpa fiiiilha, de verbo e vc o conjuga tbem. Fiiiilha, larga do meu pé. As vezes vc me enche o s...me dá nos nervos.
Vou explicar o que para vc. Depois que vc fisgou o homem mais inteligente ( depois de mim, claro) do mundo. Ah!! filha, não amola, vai.