CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


sábado, 5 de dezembro de 2009

OH, COLIBRI!


Oh, Colibri!
A vida é sua sorte. Sorte é ter um sonho e
não dar asas ao sonho é pena de morte.
Se chegar um sonho
se agarre nele,
seja as asas dele.
Siga com ele.
Oh, Colibri!
Não te tenha pena.
Não tentar a sorte é pena de morte.
Não roube o seu tempo,
pegue na crina do vento e
explore seu sul e seu norte.
Oh, Colibri!
Vá se descobrir.
Quando o seu canto não tiver encanto,
não se desencante, eu sou sua vida!
Sou sua mãe, seu pai.
Não te dou o sonho, te ensino a voar.
Aqui ou acolá, vou sempre te amar.
Oh, Colibri!
Se estiver por um fio
terá nos meus braços o seu cabo-de-aço.
Oh, Colibri!
A vida existe se tiver um sonho em qualquer espaço.
Oh, Colibri!
Pode ser que um dia você colha o frio do vazio em pleno verão.
Pare no seu tempo, mas não pare as asas da imaginação.
Você tem esse dom.
Oh, Colibri!
Você tem esse dom .
Por onde voar, se plantar seu sonho ele brotará.
Vai poder então,
colher os seus frutos
em qualquer estação.
E todos o verão, meu filho,
você com os pés no chão.
Oh, Colibri!
Vá sempre cobrir de asas
os seus sonhos.
Eles são sua vida.
Oh, Colibri!
Voe sempre mais forte.
Não dar asas aos sonhos
é pena de morte.
RITA LAVOYER

2 comentários:

jhamiltonbrito..blogspot.com disse...

Explorei meu sul e o meu norte...e encontrei o amor no leste.
Po, infame...pardon

Anônimo disse...

Amada, és mais ligeira que um colibri. Admiro tua criatividade. Suas idéias alçam vôo e nos deixam aqui pequeninos e boquiabertos. Um beijo Luza