CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


sábado, 8 de maio de 2010

JORNAL FOLHA DA REGIÃO 08/05/2010





10 comentários:

lucidreira disse...

Apoio, com isso pode sanar alguma irregularidade e chacota existenta entre alunos.
Abraço

Malu disse...

Um fato que existe desde os nossos tempos,amiga, só que hoje acontece de forma mais perversa, como se as crianças, os adolescentes não fossem mais ingênuos e apenas carregassem maldades dentro do si.

Há que se fazer muita campanha sobre este problema.

Muito bem postado.

Beijinhos

Patrícia Bracale disse...

Parabens pelo trabalho, que esta data venha e que fatos desagradaveis como bullying vá desaparecendo de nossas vidas. São marcas que ficam, nossos filhos podem escapar dessas crueldades.
Pode contar comigo.

Henry Mascarós disse...

Parabéns!!!
Qualquer ação que torne a vida escolar mais segura e agradavel deve ser aplaudida...
tem todo meu apoio.
abraços

Genny Xavier disse...

Olá, Rita
Projetos que objetivam abolir a violência física e/ou psicológica nas escolas devem sempre ser apoiados, divulgados e repetidos ao máximo.
A prática cidadã do educador e de todos os envolvidos no processo educativo é, sem dúvida, um caminho solidário e justo.
Sucesso na iniciativa.
Um abraço,
Genny

P.S. Há novas postagens no "Baú", sua visita será bem vinda.

jhamiltonbrito..blogspot.com disse...

E foi você quem dinamizou este movimento. Eu vi. Na cidade, ninguém se envolveu nisso mais do que você.
Eita, típica mulher contemporânea : altiva, batalhadeira, dinâmica e pescadora de porquinhos rsrsss

Lilá(s) disse...

Uma realidade que não devemos descuidar, são fundamentais este tipos de acções, desejo muito sucesso.
Bjs

Barbara disse...

Sabe que estive a falar hoje, de bullyng que eu há muuuiiiito tempo, sofri na escola?
Não tinha esse nome - mas era.
De onde vem isso?
Talvez do sentimento de classificar-se, comparar-se e competir.
Partindo disso, há essa prática no trabalho, entre vizinhos e em qualquer idade sendo que, reconheço que na escola, com crianças e jovens, o caso é muito mais sério.
Obrigada. (Imaginei ter posto um comentário aqui - não?)

Junior Silva disse...

Olá Rita

Parabéns pela iniciativa. É preciso mesmo que se previna esse tipo de coisa. É um assunto sério que precisa ganhar mais destaque.

Abraços.

Wanterlor Bandeira disse...

Olá Rita
Parabéns pela iniciativa e pela indicação do Ventura.
Um grande abraço