CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

quinta-feira, 6 de maio de 2010

PAI, FELIZ DIA DAS MÃES.




Às vésperas do dia das mães, aparecem homenagens de todos os tipos. Até às mulheres que nunca foram mães porque não quiseram. Resolvi homenagear uma mãe diferente. Pais, recebam minha homenagem, eu a fiz pra vocês.


Pai que embala o berço

Filho, quão gostoso é olhá-lo nesse seu soninho de luz. Olhando o seu rostinho tão criança, incendeia-me o peito a claridade do amanhã.
Filho, quão delicioso é vê-lo acordando com esse chorinho manso, acalenta-me o peito uma alegria de futuro.


Filho, que sabor maravilhoso os meus braços sentem ao pegá-lo, e sua maciez penetra-me os poros, fortalecendo-me a vida. Vou embalá-lo, meu filho, e tentar cantar uma canção como eu ouvia quando também fui criança. Se eu não cantar bem, por favor não chore. Mas se chorar, mudo a canção. Invento qualquer outra, até que eu consiga fazer você sorrir um pouquinho para mim.


Sei que vai sentir fome daqui a pouco, melhor preparar a sua mamadeira. Primeiro, acho que tenho que trocar as suas fraldas. Estou meio perdido, filhinho, mas vou me encontrando junto com você. Eu não estava preparado para isso. Ainda não levo jeito.
Nós o esperamos tanto, fazíamos planos juntos. Pensamos que, talvez, você gostaria de ser astronauta. Agora, olhando-o, acho que nós acertamos. Seus olhos vivos parecem querer ver o mundo de uma só vez.


Não chore minha criança. Já estou terminando, a próxima eu troco mais rápido, prometo.
Também, já é quase um rapazinho, está todo ralado, mas logo vai se equilibrar e correr com essa sua bicicleta por aí. Está com febre novamente, já marquei com seu médico, vou levá-lo lá, vai acertar com o remédio desta vez.


Amanhã tenho reunião na sua escola, aprontou mais uma, não foi, mocinho?


Não é assim, pegue direito no volante, olhe pra frente e tenha calma, estarei aqui do seu lado, é só ir devagar que você vai conseguir. Não tenha medo meu filho, sou seu pai, confie em mim.


Filho, já é tarde, vá se deitar, amanhã você acaba de estudar. Tome o seu leite antes que esfrie, meu filho.


Passou! Você passou! Tinha certeza que conseguiria meu filho. Sempre confiei em você.
Linda, meu filho! Sua noiva é muito linda mesmo. Agora você já é um homem formado, tem bom emprego. Deve constituir sua família. Estou orgulhoso por ser seu pai. Você só me deu alegrias e, tenho certeza, será um ótimo esposo e bom pai aos seus filhos.


_ Pai, acha mesmo que eu irei deixá-lo? Você é tudo na minha vida, me criou sozinho, foi mãe e pai ao mesmo tempo. Suportou o abandono da sua esposa e dedicou-se somente a mim. Não vou deixá-lo nunca, pai. Se eu agisse assim, estaria contrariando a educação que o senhor me deu. Eu sou um feliz filho, porque tive um pai durante todos os momentos da minha vida.


Eu sou feliz PAI, eu tenho o senhor perto de mim. Feliz Dia das Mães, meu querido pai!

Rita Lavoyer.

16 comentários:

Chica disse...

Encantadora e emocionante homenagem!LINDA! beijos,tudo de bom e PARABÉNS!!chica

Guará Matos disse...

Me sinto também homenageado. Sou "pãe" e isso apesar de ser acumulativo, é legal.
Bjs.

jhamiltonbrito..blogspot.com disse...

Sabe, um texto assim, só você poderia escrever. Palavras ordenadas de tal forma que levam à emoção e à razão.
Receba os cumprimentos de um pai-avô, senhora dona Rita.

Malu disse...

Muito bem homenageado os pais.
Terno e emocionante.
Quantos homens não fazem o papel de mãe, com dificuldades, muitas vezes com falta de jeito, mas com muito carinho.

Beijinhos

VELOSO disse...

A melhor homenagem aos pais que eu já vi ! Muito obrigado! Muita paz !

Thathy Vilella disse...

Rita,

Que LINDA homenagem!!!! ADMIRO muito homens que são bons pais, e encaram com coragem a difícil tarefa de criar e educar um filho sozinhos; contrariando assim a falsa teoria de que só mulher é capaz disso.

Aliás, tive a oportunidade de conhecer homens que são EXCELENTES "pães" , melhores disparado que muitas mães.

LINDO TEXTO!!! MARAVILHOSO mesmo!!!! Parabéns!!!!

Beijos,

Thalyta

Jaki disse...

Vc tem o dom de usar sensibilidade em seus textos..., e de maneira sutil, sem ser apelativa..

Parabéns!
Visite tb o meu blog, breguetes da jaki
Abraços

Jorge Sader Filho disse...

Os pais de verdade, a todo momento necessário, devem agir com mães zelosas. Acertou, Rita.

Beijos
Jorge

lucidreira disse...

Posso dizer que durante esses doze anos de vida do meu filho fiz exatamente este papel. Pois a mãe saí às hs.5:30 deixando dormindo e só retorna depois das hs. 20:30 já proxímo ao ir dormi, por trabalhar em uma universidade, ficando todo o tempo restante do dia a meu comando.
Não é mole não, pois sou aposentado precosimente daí deu nisso, mais estou satisfeito e feliz.
Obrigado pela homenágem.
Bjos e abraço

VANUZA PANTALEÃO disse...

Rita, se vc é uma escritora, estou pressupondo que dispõe de senso crítico. Daí, não imponha às pessoas a ida ao seu blog, o que já fiz, inclusive, por educação. Não aprecio os seus modos, muito menos, a leitura modorrenta e cansativa dos seus posts. Agradeceria se não insistisse. Estou em férias e viajo em breve com meu esposo. ADEUS!

Barbara disse...

Muito interessante eu ler isso.
Vou escrever e vai parecer o "samba do crioulo doido " mas não tem graça alguma. Minha mãe morreu e deixou a mim com 10 de idade. Meu pai casou 8 meses depois. Mas por ele também ter os vazios dele, por não ter sido criado pela mãe , buscou afeiçoar-se a nova família e achava que cuidar de mim era pagar a escola, dar comida, remédio e roupa.
Até os 30 eu não o via muito bem mas depois disso, passei a compreender os motivos as limitações as dores dele.
Melhor assim, pois pude antes de ele também partir, agradecer por ter me mantido do jeito que sabia melhor.
Hoje ao atender uma família cujo pai até casar de novo cuidou de 2 filhos sòzinho, fiz questão de colocar o nome dele à frente do documento - que normalmente leva o nome da mulher primeiro (bolsa família).
Achei o tal senhor um quase herói e fiz assim, como que em reverência ao amor de um homem que por circunstâncias, tem que se multiplicar mais do que se permitiriam não fosse o destino a fazê-los "mães".
Obrigada.

jhamiltonbrito..blogspot.com disse...

" o que eu posso fazer,disse o escorpião, faz parte da minha natureza" Assim como o escorpião tem a sua a natureza , tem "leão" que morde doído e sem necessidade.Um pedido seria o bastante e até justo, já que não gosta. O comentário deselegante não era necessário. Dai , minha solidariedade, amiga Rita.

Patrícia Bracale disse...

Olá Rita, o Neto leu no jornal seu texto e adorou.
Bjos

Ivani Kubo disse...

Que manhã de sábado maravilhosa, Rita...estive te lendo no seu cantinho e nem tenho vontade de sair daqui...
Muito doce, muito delicado o seu blog...
Virei sempre, pois me sinto bem aqui...!
beijos

Andrea R. Martins Corrêa disse...

Rita, que bonito...
Ser mãe não é ofício feminino apenas, que bom que muitas pessoas estão compreendendo isso.

abraço

Tarcila Peres disse...

Familia é tudo, não é mesmo? Minha mãe cometeu suicídio no ano de 2000... então meu pai. Assumiu o posto de pai-mãe. Fiz uma homenagem à ele com o titulo da sua crônica, sem saber nao copiei tá bom?... postei o video no youtube esta assim Pai, feliz dia das mãesnnn. (Nao sei porque apareceram esses N no final. Bejs assistam vale a pena e só tem 2min é bem rapidinho...