CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


quarta-feira, 28 de agosto de 2013

CAMISA DE FORÇA

Decreto que hoje, 28 de agosto, seja instituído, para ele ser homenageado, o dia do LOUCO, mais exatamente: DIA DO LOUCO ASSUMIDO - matéria prima, matéria irmã, matéria tia, matéria mãe e pai infinitamente aproveitável e necessária para edificar concretudes subjetivas em toda a História da Humanidade. Aos LOUCOS ASSUMIDOS, sem os quais muitos sonhos adormeceriam incólumes, porém sem sentidos, os meus mais sinceros parabéns pelo dia de hoje! Psicólogo, ontem foi o seu dia! Hoje é o nosso : DO LOUCO ASSUMIDO. Parabéns e obrigada por nos revezarmos neste divã de completudes: Rita Lavoyer

imagem da internet

Na minha camisa de força
Fui largada para sempre
Sem fivelas
Sem braços fortes
Apenas eu

Na força da minha camisa
Não há nada para agarrar
Nem braços
Nem eu
Apenas fivelas

Nos braços da minha força
Não há camisas
Nem fivelas
Apenas velas em fila
Que pena
Rita Lavoyer

7 comentários:

VELOSO disse...

Nós e nossas camisas de força... Parabens Rita!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Belo e muito bem construído poema. Sua simplicidade é só aparente, foi trabalho de arquiteto erguê-lo e aparar suas arestas, em seu ritmo e significado. Bacanas as variações dos primeiros versos: Na minha camisa de força, Na força da minha camisa, Nos braços da minha força. Um show, Rita. Parabéns.

ALAORPOETA disse...

A única forma autêntica de expressão da liberdade é a poesia, tudo o mais são discursos para nos convencer e nos aprisionar. Por isso sou poeta, porque tenho medo de ser um pregador.

Jorge Sader Filho disse...

Sua camisa de força ficou foi muito elegante, bem feita, requinta.
Admiro muito sua maneira inteligente de escrever, Rita.

Carinho,
Jorge

Andrea R. Martins Corrêa disse...

Olá Rita
Um grande prazer estar por aqui novamente, com belas palavras, versos e prosas, não é mesmo?
Aguardo sua visita tbm!

abraço

Malu disse...

Menina, acho que todos nós usamos camisas de força em determinadas horas... só não sei se consciente ou inconscientemente.
Um abração e parabéns pelo poema

BLOG DO PROFEX disse...

Nossas limitações, nossas camisas de força. Desatar as fivelas, acender as velas e buscar braços, abraços a fim de encontrarmos, de entrever nossas possibilidades, vislumbrar sonhos. Possíveis. Impossíveis.
Grande abraço!