CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


quinta-feira, 14 de julho de 2011

O QUE É ISSO, COMPANHEIRA?


IMAGEM DA INTERNET




Como sempre acontecia no seu dia a dia, aquele dia não foi diferente. Aconteceu de novo, logo pela manhã, mas daquela vez ele veio batendo as asas. Cantou tristemente no parapeito da janela da sua sala de estar. Estava o homem a ler o seu jornal.


_ Bom dia! - Disse-lhe ele com ar contente, apesar de ter mostrado tristeza no seu canto.


_ O que é que tem de bom? - Respondeu-lhe o homem com a amargura das notícias que já o consumiam tão cedo.


_ O que é que tem de bom? Tem que hoje eu estou voando.


_ Já não voava antes?


_ Não! Antes eu apenas pulava, mas não conseguia alcançar a altura que atingi hoje.


_ Se ficou contente com isso, por que é que cantou com tanta tristeza?


_ Por que eu cantei? Eu não canto! Não sei cantar. Nunca cantei.


_ Como não? Chegou aqui cantando...


_ Eu cheguei aqui? Como que eu cheguei aqui? Está maluco? Eu nunca saí daqui homem! Como posso ter chegado?


Olhou o bichinho por sobre os seus óculos, engoliu tão seco que um nó apertava-lhe a garganta. Fechou o jornal. Dobrou-o, e sem piedade deu-lhe um golpe impiedoso no lado, atingindo a asa esquerda. Com uma das partes depenada, a coisinha refletia um ar jazido no canto onde fora parar.


_ Humm! Jornal dobrado dói - murmurou a triste ave querendo suplicar um último olhar do seu malfeitor – Ainda mais nas minhas costelas.


_ Não bati nas costelas. Bati na asa.


_ Que asa? Nunca tive asa! Acho que me quebrou as costelas, seu desgraçado!


_ Que costelas?- Perguntou-lhe. - Desde quando cobra tem costelas?


_ Que cobra? Nunca fui cobra.


_ Foi sim, seu papagaio!


_ Que papagaio, seu porco! Nunca fui um papagaio. Sempre fui um periquito.


Diante dessa afirmação, o homem levantou-se da poltrona e com um salto destemido esmagou o pobre animal pisando-lhe o pescoço. Face às revelações que sempre o assombravam, nada mais lhe restava a fazer senão, jogar a sua companheira no lixo.


Deixou o jornal, botou a sua camisa do timão e foi ao estádio juntar-se COM a torcida organizada.



Rita Lavoyer é membro da Cia dos blogueiros

7 comentários:

jhamiltonbrito.blogspot.com disse...

Criatura, eu ainda não tinha chegado no fim do texto e ja sabia que o lazarento só podia ser um curintiano. Deve ser um primo ou primo-irmão do VENTURA PICASSO.

Anônimo disse...

Minha senhora, ainda bem que sou sãopaulino.

Jorge Sader Filho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Sader Filho disse...

Não vi nada, não ouvi nada e por favor não me comprometam com esta coisa de testemunha.
É, Rita, desta vez o periquito voou longe!
Ainda bem que sou Botafogo...

Beijos

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Sensacional zoocrítica, cheia de ironia e denúncia. Muito bom, Dona Rita.

Cidadão Araçatuba disse...

Rs...Abração!

jhamiltonbrito.blogspot.com disse...

Uai, jornal dobrado dói?
É dor aguda ou crônica. Deixa prá lá, dor é subjetiva mesmo.
A minha dor de dente não passa com oração, ou eu tomo um remedinho ou não " drumo"
Mas se a ciência diz que é, é, né memo?