CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Geraldo Vandré - Pra não dizer que não falei das flores

2 comentários:

Célia disse...

Nas minhas raízes estudantis-políticas... fui buscar minha participação ativa nessas passeatas e manifestações pela democracia em nosso país. Palco da Praça da República, Praça Roosevelt, Anhangabaú e outros foram testemunhas... Shows políticos participativo de um povo insatisfeito.
Atrevo-me a uma pergunta que não quer calar: e hoje? Estaríamos satisfeitos?
Célia.

Rita Lavoyer disse...

Olá, Célia! Obrigada mais uma vez pela participação.
Os inquietos, certamente não estaríamos satisfeitos se deixássemos de participar de movimentos importantes. Também fui grevista,com metade do coração pedindo pra lutar, outra metade pedindo para continuar calada, porque arrimo de família não tinha boca e criança daquela época nasceu para ser gente grande rapidinho. Aprendemos, nos momentos escuros, que a satisfação é momentânea.A falta dela nos impulsiona à luta. São os insatisfeitos e as perguntas deles que modificam o mundo. O amanhã é uma criança que precisamos ajudar a parir. Cuidemos, porque todas as crianças têm medo do escuro.