CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


segunda-feira, 18 de novembro de 2013

APOCALIPSE




“Apocalipse”  -
Este projeto é idealizado pelo escritor e poeta Carlos Marcos Faustino, que me proporcionou a honra de participar com este grupo seleto de poetas. Na verdade, a minha produção é a 6ª, nesta ordem, mas fui autorizada a publicá-la em primeiro plano.
 
O MEU APOCALIPSE

Não ando a procura do começo do fim
todavia, quanto mais caminho,
mais ele se afasta de mim.
Sigo a minha trajetória: - aquela que, desde o princípio,
apalpa o Verbo da vida e, sobre as circunstâncias
 advindas no percurso piso firme,
extraindo delas raios de Luz que
resplandecem, no fim de uma passagem,
os segredos Divinos.
Para aquele fim dirijo meus passos 
ao encontro das revelações
dentro das  quais sempre há o recomeço
que, por muitos fatos, também alcança o fim: passa!
Curvo-me, pois, a eles e sigo caminhante,
conforme a minha vontade,  até a última hora.
Autoria : Rita  Lavoyer - Araçatuba - SP

16/11/2013


***********************************************************

Apocalipse

O rio Eufrates está secando, os ventos solares assolam a Terra,
Poluem aos poucos quase todos os rios, os mares,
Bolas de fogo, incandescentes cortam o céu, muitos “avistamentos",
OVNIS  nos espreitam, governos constroem abrigos subterrâneos,
E tudo há de ser instantâneo,
O mal  em quase toda a humanidade impera,
Filhos contra pais, crianças abusadas, pedofilia,
A morte como abutre  ronda
Famílias se destroem, o dinheiro escraviza, quem detém o poder, extrapola,
Meteoros, tsunamis, vulcões, terremotos, tempestades,
A terra chora, final dos tempos, a humanidade está indo embora?
Carlos Marcos Faustino
21/10/2013- Segunda feira- 20h37m

 

**************************************************

 “Simbolismos, profecias dos seguimentos cristãos,
abraâmicos, budistas ou de qualquer religião.
Em quaisquer filosofias, crenças da revelação;
Visões do final dos tempos, falsos profetas chegando,
pestes, fome e a heresia...Isso é só o fim começando.
Catástrofes, anomalias e o mundo em confusão;
Discórdias, pais contra filhos e nação contra nação.
Diante do trono branco virá o juízo final?
Quem afinal nos dará o ingresso pra salvação?”
Beto Acioli -Recife PE
25/10/2013

 

**************************************************

 

"não espero do começo
O fim que tanto
Aguardo
Nem f
Nem i
Nem m
Tudo é consciente
Quando a consciência
Pertence a uma só mente
Quando temos
Uma mídia
Uma fonte
de  utopia
O fim não chega
Pois o dia
Nem começou
Pra que
O fim se suceda"
autor
Marcos Samuel Costa- Ponta das Pedras -PA
12/11/2013

 

**************************************************

"O que finda
são os olhos
Nas escassas olhadas
de um eterno engano
que é embate
entre nós
ante as pupilas
a ver cores de ilusões
Devo continuar
nessa
descortinada caminhada
que sei só da partida
nada da chegada?
Grito ou  o momento
É de silêncios?
Me rendo já no embate
ou delato para o destino
as intempéries da realidade?
sem respostas
sigo adiante
com ilusão de caminhar"
Airton Souza -  Marabá- PA
12 de novembro de 2013

 

**************************************************

 "Ciência, filosofia, religião.
tanto faz,
A destruição é real,
De modo sobrenatural,
por todos os lados ela virá,
segundo a fé,
nem a todos encontrará.
Apocalipse, Apocalipse,
todos devem anunciar,
fome, miséria, engano e catástrofes,
Os sinais estão aí,
de que algo  ou alguém mudará tudo;
Será a destruição de um mundo físico
e o começo de um outro  espiritual.
E se o apocalipse divide opiniões,
também dividirá corações,
pessoas.
Tudo vai mesmo acontecer?
se abrirmos os olhos,
veremos que já está acontecendo;
É preciso enaltecer a fé,
Deixar nascer
o acreditar, o saber,
saber que de fato o Apocalipse chegou.
Julio Tavares- Ponta das  Pedras - PA
16 de novembro de 2013

**************************************************




2 comentários:

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Ótimo poema, Rita. Realmente, o seu apocalipse é muito peculiar e fonte de grandes aprendizados. Os demais poemas também são muito bons. Parabéns a você e a todos os participantes.

Célia Rangel disse...

Honrosa participação dos poetas em questão! O seu pensar "Apocalítico" é de uma consistência de quem sabe por onde trafega com sua vida! Parabéns, Rita!
Abraço.