CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

02 DE DEZEMBRO - ANIVERSÁRIO DO CIDIM: MEU IRMÃO



O sonho da minha mãe era se mudar para Araçatuba. A vontade dela de morar aqui era tanta, que o seu terceiro filho, O Cidim - meu irmão, nasceu no dia  02 de dezembro, dia do aniversário de Araçatuba.
Aqui seria o lugar que os filhos dela trabalhariam e acertariam a vida. Minha mãe não mediu esforços para que mudássemos para cá. Antes, veio arrumar emprego para os filhos, para que chegássemos empregados , com a garantia de salário para sustento da casa.
Minha mãe é mulher viva, sempre fez questão que os filhos  trabalhassem com carteira assinada. 
E chegou o dia. Botou os cacarecos em cima do caminhão num domingo e chegamos aqui para morarmos em um cômodo: os três filhos  e ela.
Aqui trabalhamos, estudamos, passamos dificuldades, adoecemos, caímos, levantamos, amamos, casamos e demos a ela, minha irmã e eu, 3 netos: 2 araçatubense, tem 1 que é araraquarense.
Conheci aqui em Araçatuba o meu esposo que, por questões de trabalho, precisou mudar-se para outro estado. Santarém-PA é um lugar encantador, mas sua  natureza exuberante não o  convidava a fixar-se, ele diz que é uma cidade para voltar a passeio, não para morar para sempre.  
“Um dia eu volto para Araçatuba”: era o mantra que ele praticava todos os dias. Cheguei a achar que os anjos estavam tão esgotados por ouvi-lo, que a primeira cidade começada com a letra “A” que passou pelos ouvidos dos anjos serviria para transferi-lo.  
E veio o dia: ele foi transferido para Araraquara-SP.
Eu falava: “Meu Deus, não serve essa cidade, o Senhor entendeu errado? A cidade é Araçatuba e não Araraquara”.
Vivíamos  bem em Araraquara, adquirimos o que pretendíamos e estudei o que me foi possível na Unesp, mas ele continuou com  o mantra todos os dias: “ Um dia eu volto para Araçatuba”.
O mantra funcionou. Saímos de Araraquara, onde deixamos tantos amigos, que sempre retorno para visita-los.
Há 6 anos cá estamos: em Araçatuba! A alegria do meu esposo se completaria.  Voltamos  com dois filhos. Nesses 6 anos realizamos  muitas coisas,  vencemos tribulações, crescemos na mesma proporção sem esmorecer, porque temos consciência de que nada cai do céu.  Araçatuba é o lugar onde escolhemos para, juntos,  vivermos  bem nesses 6 anos que estamos aqui, e outros mais que viveremos.
Poderemos nos mudar novamente afinal,  não devemos rejeitar oportunidades que nos permitam crescimentos. O mundo gira em todos os lugares, parados é que  não podemos ficar.
Hoje, minha mãe não é a mesma de há 32 anos, quando mudou-se para cá com os filhos pequenos,  não adianta querer levá-la junto na mudança, porque já disse que ficará em Araçatuba até o final dos seus dias: um  ponto em que sogra e genro se entendem.
Meu irmão, o Cidim, já é homem feito, casado, mas sem filho. Profissional resolvido que tem uma esposa de muitas qualidades, comemora, aqui em Araçatuba, junto com a cidade, o seu aniversário.

Então, neste dia 02 de dezembro, homenageio minha mãe: dona Dirce, meu irmão Marcos Aparecido: o Cidim, pelo seu aniversário, e a minha família em geral.
Aproveito para parabenizar, também, a cidade de Araçatuba, cidade acolhedora, que nos permite boas perspectivas, pelo seu aniversário de 105 anos e pelo privilégio que ela tem de a minha família residir aqui, neste solo, porque se Araçatuba faz bem para minha família, igualmente a minha família faz a ela.
Parabéns, meu irmão. Vamos comemorar!
Autoria – Rita Lavoyer

5 comentários:

Célia Rangel disse...

Rita!
Essa é a melhor das "autobiografias" que já li, pois expira em seus poros, o normal de toda família que reza unida e pede aos "anjos"... Fique tranquila, pois eles não se cansam não! Têm asinhas bem leves, exatamente para voarem por muitos lugares onde chamados! Hoje ai pra você é dia de muito louvor: pela vida e saúde de todos e de seu irmão; pela cidade acolhedora com sua família! Entro nessa festa e trago flores de bênçãos para essa família!
Célia.

Rita Lavoyer disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rita Lavoyer disse...

Célia, bom-dia! Obrigadão pela leitura, pelo carinho constante, pelo apoio de sempre. Sim, estamos no lugar que queremos e nos quer, isso também é importante. Felicidades, Célia, e parabéns para você também

Rita Lavoyer disse...

"Que maravilha, Rita. Como é bom conhecer exemplos fecundos de tenacidade e amor familiar. Parabéns a todos vocês, felicidades sempre e que Araçatuba tenha contínuo desenvolvimento. "

De Antenor Rosalino, via facebook.

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Pois estejam todos de parabéns - Araçatuba, o Cidim e você, Rita, pelo ótimo texto.