CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura


sábado, 7 de dezembro de 2013

ROSELI AMARAL - UMA FILHA DE IANSÃ



Num encontro promovido pela Durvalina Garcia, vereadora em Araçatuba na ocasião,  uma mulher , até então desconhecida por mim, aproximou-se  perguntando-me de qual religião  eu era, explicando  o porquê da pergunta. Numa conversa rápida, pegou o meu telefone e disse-me que me levaria para a escola onde ela lecionava.
Sem tempo para um pisão e uma piscadela, já estava a Roseli do outro lado da linha e  agendamos uma reunião. 

Há encontros para  os quais “coincidência” é uma palavra que não se enquadra de forma alguma.  O nosso contato não foi simplesmente marcado, foi o resultado de muitas orações, aquelas que faço quando o peito não aguenta mais de dor e meu esforço não dá conta de resolver,  e imploro para que Deus tome providências.  Há milagres, entre tantos que recebi, Roseli Amaral é um deles.

Esta filha de um Orixá não se deixa abater. Regida por Iansã é livre, independente e divertida na mesma proporção, conquistou e ainda conquista muitos alunos, desde os anos 80, quando ainda cursava o segundo ano de faculdade já havia sido contratada como professora de inglês numa escola particular de Araçatuba, no mês seguinte já era secretária bilingue. Lecionou em quase todas as escolas de inglês renomadas, essas que nós conhecemos, na cidade de São Paulo.

Guerreira, no ano de 1989, retornou a Araçatuba e começou a lecionar na escola “Meu Canto”, cada vez mais motivada a mergulhar no Universo da Educação, retornou à faculdade, hoje: Unitoledo e se formou em Letras. Com uma capacidade evidente no cuidado com a lingua inglesa, de aluna, passou,  a convite da professora titular de línguas dessa Universidade: Maria Amélia Silos,  a monitora dos colegas de turma. Para ela é essencial sentir-se produtiva. Deu aulas de inglês em diversas escolas particulares de Araçatuba, deixando-as. Hoje, é English Teacher na empresa Secretaria da Educação do Estado de São Paulo.

Não satisfeita com a bagagem educacional   que trazia, inspirada a crescer ainda mais para dedicar-se à educação de forma que ela precisa e merece, Roseli Amaral, já professora titular, encarou outros desafios: voltou às carteiras universitárias; graduou-se em Pedagogia e Psicopedagogia.  Empenho desse tamanho não é para qualquer uma.

Trabalhou como tradutora, foi tutora presencial de ingles online. Conheceu professores americanos com os quais mantém contato até hoje. Não é filha de Iansã por acaso.

Os filhos desse Orixá  são atraentes, Roseli Amaral  é uma mulher que atrai pelas suas  características fortes, mas transmite suavidade,  apesar de exigente e afetiva não admite perder a liberdade que conquistou com trabalho, trabalho e trabalho! Divorciada, criou os filhos, hoje formados, transmitindo-lhes sabedoria e aos seus alunos da mesma forma. Contrária a qualquer tipo de preconceito, dialoga com seus aprendentes de mãe para filhos. É fã do Alex Lapenta, jovem militante araçatubense,  e dá tiro de canhão  em quem desrespeitar o seu time de coração: o Flamengo.

                Cristã, é uma médium em potencial. Vê  com os olhos da face e do coração- seu templo eterno-  e não ostenta sua crença, mas  vive sua fé. Perdeu a mãe recentemente, mas esta filha da Umbanda, iluminada pela Luz dos Orixás está sempre festejando a vida, porque compreende as manifestações Divinas. Para ela os dias difíceis têm passagem rápida, pois das lições do livro da vida vivencia os conhecimentos, praticando-os.

Aos meus olhos definiu-se determinada, não demonstra ter medo de nada, mas coragem de enfrentar situações complicadas de peito aberto. Tem, como todos temos, defeitos e qualidades. Ela ama os defeitos dela na mesma proporção que ama as qualidades e não os evidencia para prejudicar pessoas, tirando vantagens. Não me consta que tenha prejudicado ou feito mal a  alguém. O que ela tem de bom, transmite aos que convivem com ela, tornando muito gostosa nossa convivência.

                Acho que ela se dá bem com pessoas birutas. Tudo se explica: ela é igual a mim.

Para confirmar que coincidências não existem, a escola onde ela trabalha  é a mesma onde a minha amiga do curso de Psicopedagogia  já havia marcado comigo, para me ajudar, ajudar, ajudar. Ali conclui o meu trabalho.

Nada é por acaso e Roseli Amaral é uma benção que os Orixás me proporcionaram.
 
Roseli Amaral, conserve-se sempre assim: confiante nos poderes de Deus, sempre ajudando quem precisa de socorro, tendo responsabilidade com você e com o próximo.

Obrigada, amiga!
Obrigada, obrigada, obrigada!

Rita de Cássia Zuim Lavoyer

 

 

3 comentários:

Roseli Amaral disse...

Querida amiga Rita estou sem palavras para retribuir seu carinho por mim.
Tudo que fiz e faço sempre foi de coração então não se torna sacrifício.Não esperava acordar numa manhã chuvosa de sábado e ter tamanha surpresa!!!
Você possui uma sensibilidade incrível pois me descreveu tão bem e não tivemos tantos encontros assim.
Se pessoas certas aparecem no momento certo em sua vida...amiga!!! É porque é você quem merece!!!! Thanks a lot!!!!!

Célia Rangel disse...

Ler vidas que se descortinam diante de nós é um privilégio enorme! Socorros de almas que se encontram é sempre luz no caminho que percorremos. Feliz é aquele que percebe e dignifica em gratidão tais momentos. Isso é ser cristã. É ser religioso. É na prática de nossa vivência diária que demonstramos o quanto "amamos o próximo"...
Abraço, Rita!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Bela e sincera homenagem, escrita com o coração. Muito bom, Rita.