CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Sou a noite, pessoa!


SOU A NOITE,PESSOA!

 

RITA LAVOYER

 
Sou a tua noite, vem que eu te embalo.

Traze no teu ser o cansaço

 E em mim podes colocá-lo.

Dá a esta noite o prazer

De ser do teu céu o paço.

 
Com os teus pés fora da rota,

Pisa-me a imensa raiz

Cálida. Denota teus passos e bota

Semblante em minha cariz.

  

Depois que fizeres de mim concretude

Avantaja-te com qualquer libação.

Toca-me o ventre com instrumento sagrado

E tira do som o teu vinho e o teu pão.

 

A canção dos alimentos que queres

Encontrarás bem dentro de mim.

Sou dos arvoredos sementes,

Uivando vontades crescentes,

Confinadas em meu camarim.

 

Autorizado estás

 Para das flores tirares fragrância.

Para tal precisam do orvalho

Que brota da tua inocência.

À vaga dá luz com teu lume

E faça o dia de mim descendência.

 

Terminado o teu sono, e tua alma

Novamente encontrar-se contigo,

Descansados estarão os teus passos

Por teres me dado sentido.

 
Por ti exerci tal função

Fui noite porque assim me quiseste.

Adentro da visão caminhaste

Fazendo-me dos teus sonhos vedete. 
 
do livro Partida,2012.

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Belíssimo poema assim com a obra: PARTIDA!
Abraço.

Rita Lavoyer disse...

Muito obrigada, Célia!