CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

30/01- dia da não-violência. E aos professores??

30/de JANEIRO, DIA DA NÃO VIOLÊNCIA – E AOS PROFESSORES?

É de estarrecer saber que PROFESSORES precisam sair às ruas para defenderem seus direitos. PROFESSOR é uma categoria diante da qual a sociedade deve se ajoelhar e pedir-lhe perdão por cruzarmos os braços, deixando a categoria à mercê de politiqueiros  que fazem-na  trampolim para chegarem onde querem.

Sou contra a violência, mas a esses políticos malfeitores ripa no lombo é pouco.

Quem desmerece um professor, desmerece 40 ou mais famílias que têm suas crianças sob a responsabilidade de um desse profissional na  escola.  Quem desmerece um professor desmerece os pais, os avós e todos ancestrais que se permitiram humanos para que chegássemos à esta era. Quem desmerece um professor, desmerece um pedadogo, um psicólogo, um médico, um dentista, um enfermeiro, um advogado, um pai de santo, um exorcisador e muitas outras  funções que o professor  precisa assumir e desdobrar-se para  conseguir ser PROFESSOR.

 E não é somente na esfera estadual, cujo atual  governante é ruim, mas ruim também foram seus antecessores para a categoria.  Quer violência maior do  que a indiferença  à categoria? Mas a coisa não está feia somente na esfera estadual. Na federal e municipal igualmente.

O governo do estado de São Paulo deve ter suporte nos ombros, ou capangas que o carreguem nos braços,  para  suportar  o desemprego de mais de 20 mil professores, sem contar com o fechamento de escolas, superlotando as salas de aulas, precarizando ainda mais a qualidade do ensino.  Quer violência maior do que o abandono da categoria pela Nação, estado e municípios?

Sabemos o  que é ter 40- 50 ou mais alunos  fechados dentro de uma sala escolar. É torturante para os alunos e professores, mas quer tortura maior a um profissor ter que se calar diante das agressões de alunos que têm, em muitos casos, leis para sua proteção, colocando o professor numa situação humilhante diante de processos administrativos?

 È humilhante e de chorar ouvir meus amigos , MEUS AMIGOS, que, há mais de 20 anos lecionando, têm que passar por situações constrangedoras, cansativas e desesperançosas nas atribuições de aulas, alguns tendo que assumir mais de 2 escolas, viajando dentro da cidade para completarem sua carga horária, submetendo-se à essa violência física e psicológica que prejudicarão seu estado de saúde.   Isso é grave!

Para quem pretende ver uma nação de jovens bem sucedidos na vida, jamais numa cadeia, é um verdadeiro: “cala boca, no poder quem manda sou eu”.  Isso não é uma violência?

Uma presidenta que pretende cortar despesas e degola orçamentos destinados à Educação, contradizendo-se no que prometera em palanques,   tem responsabilidade direta com descaminho de muitas crianças e adolescentes em formação.  Isso não é uma violência?

 Depois não vai adiantar arrancar milhões do bolso dos contribuintes  para pagar auxílio recusão. Esse benefício, nem que a vaca tussa, recupera alguém.  

Político que desmerece um movimento de luta de professores se posiciona no pior lado da administração pública - o lado malfeitor,  que defende o próprio umbigo, ou o umbigo de quem precisa defender por dever-lhe favores, esquecendo-se de que quem põe a bunda em qualquer cargo público tem o POVO como seu patrão, e não o companheiro de  partido.

Desmerecer qualquer movimento promovido por professores para valorização da sua categoria É VIOLÊNCIA- destruição do futuro!

Professores não precisam de capangas que os defendam, nem que os desmereçam. PROFESSORES precisam de respeito e de salário de um prefeito, de um secretário, de um vereador, assim terão oportunidades de  estudarem mais, cuidarem de si  como precisam e merecem, porque precisam estar bem  para cuidarem das nossas crianças e adolescentes.  

Quer  promover  o futuro a uma nação, investa no PROFESSOR.  É ele que promove a EDUCAÇÂO.

Devemos lembrar que há professores que são e professores que foram. Aos que são, apesar da aposentadoria e ainda colaboram e defendem, ajudando a categoria, os meus respeitos.

Os que um dia foram, e hoje desmerecem a categoria, cuspindo no prato que comerem, por estarem do outro lado da situação, o meu desprezo.

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Rita!
Mil e um pensamentos depois de lê-la... Formada desde a década de 60... atuei até 2006 ... Havia respeito, dignidade e um pouco de investimento. De "normalista fui à minha pós em pedagoga"... Das salas de aula às coordenações pedagógicas... Hoje, da "aposentadoria à decadência" e tendo que engolir o refrão discursivo da presidenta: - "Brasil, pátria educadora"!! Para mim, foi a maior piada do século XXI...
Beijos.