CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

quinta-feira, 7 de maio de 2015

QUEM SERÁ?

Quem será - Rita Lavoyer



Outro dia, uma  lágrima caiu.
Não sei, de verdade, qual de mim chorava.
Sei que era alguém que chorava sozinho.
Para não deixá-lo  só,
um outro em mim lhe fez companhia
e, juntos, choraram duas lágrimas.
Outros vieram e juntaram-se ao choro;
fortaleceram-se,  inundando minha face
com aquilo que  promoviam.
Alguém em mim ficou só.
Achegou-se complacente e,
sem nada perguntar,
apartou aqueles outros,
que não apresentaram resistências,
limpou a minha face
e voltou ao seu lugar,
equilibrando o meu.

Qual  de mim  ajudou-me? 

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Extremamente transcendental, Rita, o seu poema. Você, na minha concepção, se ajudou...
Abraço.

Rita Lavoyer disse...

Oi, Célia! Ainda bem que fui eu, já pensou se eu também começasse a chorar?