CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


segunda-feira, 6 de julho de 2015

MEUS BENFEITORES


Esses são alguns dos benfeitores anônimos ( anônimos para alguns) que me ajudaram quando precisei. Agradeço-os de coração.  Por hoje são esses, mas há outros que também 
preciso homenagear, assim, ao meu modo, e postarei por aqui - Rita Lavoyer


A minha BENFEITORA anônima do meu dia 04/07/2015 é Sirlene Faria, da cidade de Guararapes.
Como é praxe os alunos se apresentarem no primeiro dia de aula, chegou a minha vez e assim ouvi dela: “ - tinha certeza de que e um dia iria conhecê-la”.
“Voti!” Pus meu raciocínio lógico para funcionar como nunca antes e armei-me de barriga pra dentro e peito pra fora. 
“Meu filho leu os seus livros na escola onde estuda” - aí eu senti o peso da responsabilidade aumentar sobre os ombros.
“AI, meu Deus! Quem é essa dona?” – questionava-me. Precisava que ela desviasse de mim para voltar com minha barriga pra fora e peito pra dentro.
E o tempo passou um pouco, mas não muito, e ela decidiu que podia me levar por onde eu, por necessidade, precisava estar . Colocou-me de forma que me vissem e fluí muito por intermédio dela.
Atuante na questão da “ inclusão social” , não por acaso, é nome respeitado na cidade de Guararapes pelas ações que promove nas diversas secretarias municipais daquela cidade. Professora dinâmica, coordenadora da Pós-graduação do Unitoledo, muitos aprendentes passaram por seus cuidados e atuam na área social honrando o aprendizado que esta ensinante tão bem consegue transmitir.
De voz suave e face cândida não há quem com ela não se encante. De postura altiva – no significado de nobre e digna- sabe posicionar-se sem ser autoritária, trazendo ao seu patamar quem a tem como espelho.
O sorriso todo especial que ela tem, todo meigo, quase tímido, aumenta seu charme e elegância.
Não sei se coincidência ou não, encontramo-nos e registramos aprendizados.
Há pessoas que nascem por necessidade da vida. A vida necessitava da professora Sirlene Faria, por isso ela nasceu e vem cumprindo sua missão tão exemplarmente. Por isso eu a agradeço hoje por ter me ajudado muito. Muito mesmo!
Em nome dos excluídos que a senhora conseguiu , pelos seus estudos, trabalhos e fé colocá-los com dignidade nos lugares que lhes competem por direitos na sociedade, o meu muito obrigada ,minha Benfeitora, Professora Sirlene Faria.
Sua aluna: Rita Lavoyer







O meu homenageado - BENFEITOR anônimo do meu dia 02/07/2015 - é o querido SHIGUEYUKI YUSHIKUMI, da cidade de Lins.
Shigueyuki Yoshikumi, para mim só “Shiguê” , é assinante antigo do Jornal Folha da Região. Certa vez, de um ano que não me recordo, para minha surpresa, o Jornal repassou-me um e-mail enviado por ele – leitor- referindo-se a um texto meu publicado naquele dia, pedindo-me um livro que eu citei no texto, pois queria adquiri-lo.
Tomei a liberdade de entrar em contato pelo endereço de e-mail que constava na mensagem. Daí, quem ganhou com o contato fui eu. Shiguê apresentou-se um benfeitor nas minhas causas desesperadas à caça de livros. O que ele achava que fosse importante para mim, enviava-me. Tenho-os em grande apreço.
Shigueyuki, como bom leitor, soube separar dos meus textos as figuras e alegorias, dando-lhes um toque especial de leitor que , quem escreve, sonha ter.
Shigueyuki, tenho certeza, é uma benção à família. Um exemplo de bom caráter, competência, companheirismo e ... carismático que só, é também um cantor excelente!!!
Shigueyuki, graças a sua atenção para com meus estudos, com o material que me forneceu, consegui dar um toque especial ao meu trabalho. Shigueyuki é um doce de ser humano e imortal da Academia Linense de Letas.
Que Deus me permita continuar escrevendo para que a minha necessidade seja interpretada em verbos e versos e que o Shiguê , meu amigo Shigueyuki, não desista de tornar nossa amizade uma aromática poesia.
Receba, meu querido Shiguê, meus agradecimentos em forma de oração.
Deus o abençoe! Rita Lavoyer








A minha homenagem ao BENFEITOR(a) do meu dia 01/07/2015 é para Vânia Bertequini Nagata e Walter Nagata 
Essa mulher e sua família muito me ajudaram quando cheguei em Araçatuba. Abriu-me portas que foram importantíssimas para o andamento dos meus projetos. O seu esposo é o Walter Nagata, figuraça e simpatia, amigo do meu esposo, eu o adoro e o admiro muito. Vânia e Walter, eu os trago eternamente no meu coração. Vocês são tão bons que estarmos ao lado de vocês ajuda-nos a sermos um pouco melhores. Deus os abençoe. Com gratidão: Rita Lavoyer.


3 comentários:

Célia Rangel disse...

A gratidão é uma qualidade inerente aos bons que, também sabem, agradecer e ajudar sempre. São valores impregnados em você, Rita! Beleza de atitude.
Bjs.

Rita Lavoyer disse...


enviado via email por Maria Luzia Villela

"Muito lindo, generoso e justo. Deus a abençoe. Nada agrada mais a Deus do que um coração quebrantado e agradecido.
Por esta razão Davi, tão cheio de falhas, era "segundo o Coração de Deus".
Um grande Bj Luza"

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Justo e bele reconhecimento, Rita. Se todos nós fôssemos assim gratos - pois não há quem não tenha benfeitores - o mundo seria um lugar muito melhor. Um beijo pra você.