CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

terça-feira, 22 de março de 2016

A SEDE DA MINHA ÁGUA

A sede da minha água - Rita Lavoyer
Minha água tem sede!
Tem sede de partículas que ela desconhece ainda,
mas o saber existir assanha-lhe o fluxo.
Minha água tem sede!
Tem sede do elemento de número atômico 1,
desejando acasalá-lo ao outro de atômico 8.
Minha água tem sede!
Tem sede de elementos indispensáveis à vida,
sejam eles sólidos, líquidos ou gasosos.
Minha água tem sede!
Tem sede de suor, de saliva, de lágrima,
de urina, de humor...
De infiltração de substâncias minerais...
Minha água tem sede!
Tem sede de cristal, de seiva, de suco amniótico,
de piracema, de oceano, de mar,
de rio, de lago, de nascente, de fonte...
de ontem, de hoje, de amanhã.
Minha água tem sede!
Tem sede de 1/3, de um rosário, de uma oração,
de um pensamento que a acolha.
Oro por ela, 2/3, até mais,
ainda que eu me desidrate, ou até que eu seque minha sede,
mas o Planeta Água, não!
Rita Lavoyer

Um comentário:

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Que essa sede nunca seixe de existir. Nem de ser saciada!