CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

JOGUE O FETO NO LIXO- TEXTO 1




Folha da Região, 13/01/2011/Fl. A8. “Feto de 15 cm é encontrado em meio a lixo”

Um feto foi encontrado, antes disso, foi jogado. Por favor, jogue o feto no lixo.
Alguém abriu as pernas, outro ali entrou. Não importa o que rolou, engravidou, porra! Jogue o feto no lixo.

A polícia foi chamada no aterro sanitário. Oh! Criminalística entrou no caso, até IML. Dona delegada, não fique tão pasmada, o assunto emocionou a molecada que ali vive plantada, pois o lixo não a repele. Já são comunitárias, pobres crianças, não anteciparam a sua passagem ali. Nasceram com o bilhete atraso. Então, jogue o feto no lixo.

Não importa o centímetro, o tamanho ou comprimento que é tudo a mesma coisa que ser gerado em ventre sujo ou ser jogado no lixão. Se foi aborto provocado, com ou sem consentimento, quem assume esse compromisso? Vá! Jogue logo o feto no lixo.

Qual a chance de encontrar a autora desse crime, se todo o lixo da cidade é jogado no aterro? Não será o último, como também não é o primeiro. Qual o inconveniente em alguém ficar contente por jogar o feto no lixo?

Esse feto me é tão consanguíneo, eu o gero a todo instante, todos os dias o meu lixo vai pra lá. Eu, você, joguemos nosso feto no lixo, urubu precisa viver.

Ciranda, cirandinha é pica, é pique e pique ou jogue inteiro mesmo, o amor que ali se tinha era pouco e se acabou. Palma, palma, palma e de no pé! Alguém jogou o feto no lixo.

Feto não é lixo, mas feto lixo é, porque ele foi feito no latão de uma mulher.

Sejamos todos humanitários, salvemos o aterro sanitário, ele precisa de vida. Jogue o feto pra ele.
Rita Lavoyer

9 comentários:

jhamiltonbrito.blogspot.com disse...

Melhor preservarmos o nosso lixo. Na sua natureza, ele se revela melhor que o ser humano. Jogar um feto no lixo: tomara que a responsável seja jogada nos quintos dos infernos.

Ventura Picasso disse...

Quando as mães deixaram de cuidar da casa para trabalhar fora. Quando a criança começou a ignorar o valor dos pais. Quando a criança não pediu licença. Quando a criança não pediu desculpas. Quando a criança roubou uma flor do nosso jardim e não fizemos nada *“Olho ao redor / e o que vejo / E acabo de repetir são mentiras / Mal sabe a criança dizer mãe / e a propaganda lhe destrói a consciência” (*Eduardo Alves da Costa – No caminho com Maiakovski). Com toda essa história, o feto paga o pato e a humanidade foi parar no lixo. Valeu Rita, não se pode calar diante a barbárie...

Jorge Sader Filho disse...

Custa crer! Mas confio na Rita, se ela diz que é, é!
Falar o quê, diante do texto. A autora já dissecou o feto.
Interessante, vejo fêmeas de animais adotarem filhotes de outras espécies.
Aqui, lixo!

Beijos, Rita.
Jorge

Marisa Mattos disse...

Nada de se calar diante de tal atrocidade.Se achada,tal criatura é que devia ser jogada no lixo,isso após ter passado pelo triturador....

Zilda Santiago disse...

E pensar que só o ser...humano,toma esta atitude bárbara.Lamentável.Saúde e paz!Vou seguir seu blog em homenagem a vida!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Nossa, que texto forte, Rita. Cru e denunciador. Maravilha, especialmente o final. Parabéns.

jhamiltonbrito.blogspot.com disse...

Rita, é verdade, é no dia 22 mas um poema daquele, vindo de quem veio, não importa o dia. Minina, me pegou de surpresa. Jamais me julgaria merecedor de uma atenção e consideraçao de tão ilustre figura. Fiquei deveras emocionado.

Henry Mascarós disse...

JOGUEM O FETO NO LIXO!!!!
Quanto choque em tão poucas palavras... espero não esfriar nunca para tais fetos... digo, fatos.
abraço

Arione Torres disse...

Oi, sou Arione. Parabéns pelo blog.É lindo. Estou seguindo o blog. Segue o meu?
http://arionetorres.blogspot.com
Tchau...