CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau.

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau.

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras.

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau.

sábado, 20 de agosto de 2011

CANALHAGE

Bicho de Sete Cabeças - Zeca Baleiro
Não demorou e as críticas começaram a surgir naquele relacionamento monótono e fraternal.
_ Não te vejo fazendo nada!
O tom arrancado do final do esôfago não era dos melhores.
_ Nunca viu, não seria agora que veria.
Num tom brando, quase não sendo ouvida, ela lhe respondeu e continuou a remendar o que já estava descosido.
Bancateavam-se *
As desconfianças aumentavam porque ele nunca mais a viu fazendo coisas, uma que fosse.
Pesquisou, pechinchou, instalou câmeras e contratou agentes. Agem perfeitamente onde e quando.
Desconfiada, desconfiado, desconfiaram-se. Agiram.
Ao seu modo, praticou a canalhage.

Rita Lavoyer - membro cia dos blogueiros

* ver texto anterior




4 comentários:

Célia disse...

Quando se chega a tal ponto... o melhor mesmo é o "desapareça"... não tem pé nem cabeça... é um bicho de sete cabeças mesmo em qualquer relacionamento! Vil! Infame! Abraço, da Célia.

Malu disse...

As relações chegam a tal ponto por não estarmos preparados para aceitar o outro e suas diferenças, seja como parceiro, como amigo, como irmãos e assim, assim, porém com o companheiro a necessidade de espicaçar muitas vezes se torna muito exacerbada daí é hora de partir porque ninguém é feliz ferindo o outro.
Abraços, Rita e tudo de bom.

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

O neologismo do título descortinou um texto sem meias palavras, de escancaradas verdades. Ao estilo Rita, sempre tão sincero. Parabéns, minha amiga.

HAMILTON BRITO... disse...

Quer apostar que a desavença tá no diabo da falta do báculo?
Ossinho maledeto, fonte de todos os problemas ... os macacos devem morrer de rir da gente.