CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


quarta-feira, 7 de setembro de 2011

MÚSICA - CLASSE MÉDIA



PARA REFLEXÃO:

SITUAÇÃO OU OPOSIÇÃO? EIS A QUESTÃO!

FÁCIL É FICAR EM CIMA DO MURO.

12 comentários:

Marianice Paupitz Nucera disse...

É a questão " ser ou não ser". se da classe média, ou da miserável. Acontece, desde que o mundo é mundo, uns com muito outros com nada,e os poderosos dão trela ao PCC da vida, atendem aos pedidos dos mesmos. E ninguém sabe ninguém viu. É o mundo que imundo desconecta o universo, atravessando as raias da bondade humana, que por mais que não se queira, ainda existe.E viva aquele que consegue controlar seu Cheque Especial. Falei, falei e acho que não disse nada.
marianice

Célia disse...

Olá, Rita! De todas as minhas reflexões de hoje, a sua, de longe, recebe nota mil! Que letra tem essa música! Faz-se uma releitura do Hino da Independência, atualizadíssimo para o século XXI. A viseira que a sociedade quer nos colocar é deplorável. Drogados, alienados e anestesiados em nossa consciência político-cidadã admitimos a poluição mental da pedagogia via "goela abaixo" em assimilar manipulações midiáticas em geral. Não importa a que preço, mas pagamos e conscientes de que isolando-nos em nossa grades físicas e espirituais criamos compartimentos, como gado: os de raça e bons para o consumo e os descartáveis! E, permitimos em nossas casas, via jornal televisivo, os desvalores éticos que tanto repudiamos aos nossos olhos e ouvidos, via desvio de verbas, sacolas, bolsas e cuecas regadas a propinas; assaltos, roubos, furtos, assassinatos e o perdão pela falta de idoneidade moral! Corporativismo até e, principalmente na absolvição de candidatos eleitos por nós! A passividade de hoje foge aos meus princípios da década de 64 quando estudante, em SP saimos às ruas demonstrando que não éramos cegos! Ah! Pátria! Amada? Idolatrada? Tenho dúvidas! Bem, se meu PC não for retirado pela censura, espero retornar às suas inteligentes reflexões! Abraço, Célia.

Rita Lavoyer disse...

Célia, a classe média está se tornando a verdadeira ‘carne de vitela’.
Somos a carne de vitela, a melhor e a mais saborosa servida nos melhores restaurantes. Amaciam-nos, impedindo-nos os músculos cerebrais para sermos saboreados com requinte , por quem? Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Difícil nesta história é conseguir subir o muro. Conseguindo, ele se torna o próprio confinamento.

Independência ou morte?? Eis aí outra questão.

Alguém arrisca uma resposta?

Suas palavras inteligentes me remeteram a esta canção. Publico-a em sua homenagem.

Vida de gado
Zé Ramalho

Vocês que fazem parte dessa massa,
Que passa nos projetos, do futuro
É duro tanto ter que caminhar
E dar muito mais, do que receber.
E ter que demonstrar, sua coragem
A margem do que possa aparecer.
E ver que toda essa, engrenagem
Já sente a ferrugem, lhe comer.
Eh, ôô, vida de gado
Povo marcado, ê
Povo feliz
Eh, ôô, vida de gado
Povo marcado, ê
Povo feliz
Lá fora faz um tempo confortável
A vigilância cuida do normal
Os automóveis ouvem a notícia
Os homens a publicam no jornal
E correm através da madrugada
A única velhice que chegou
Demoram-se na beira da estrada
E passam a contar o que sobrou.
Eh, ôô, vida de gado
Povo marcado, ê
Povo feliz
Eh, ôô, vida de gado
Povo marcado, ê
Povo feliz
O povo, foge da ignorância
Apesar de viver tão perto dela
E sonham com melhores, tempos idos
Contemplam essa vida, numa cela
Esperam nova possibilidade
De verem esse mundo, se acabar
A arca de Noé, o dirigível
Não voam, nem se pode flutuar,
Não voam nem se pode flutuar,
Não voam nem se pode flutuar.
Eh, ôô, vida de gado
Povo marcado e,
Povo feliz
Eh, ôô, vida de gado
Povo marcado e,
Povo feliz

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Música e mensagem/denúncia bem acima da média. Como tudo neste blog. Um beijo, Rita.

Célia disse...

Oi, Rita! Obrigada pela música! Cantemos...

Que País É Esse
Legião Urbana
Nas favelas, no senado
Sujeira pra todo lado
Ninguém respeita a constituição
Mas todos acreditam no futuro da nação
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
No Amazonas, no Araguaia iá, iá,
Na Baixada Fluminense
Mato Grosso, nas Gerais e no
Nordeste tudo em paz
Na morte eu descanso, mas o
Sangue anda solto
Manchando os papéis, documentos fiéis
Ao descanso do patrão
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?
Terceiro mundo, se for
Piada no exterior
Mas o Brasil vai ficar rico
Vamos faturar um milhão
Quando vendermos todas as almas
Dos nossos índios num leilão
Que país é esse?
Que país é esse?
Que país é esse?

Jorge Sader Filho disse...

Contra o atual governo. Frontalmente contra! Querem a censura, inclusive.

Beijos,
Jorge

HAMILTON BRITO... disse...

" Eu não to nem aí. Eu quero é que se exploda, a periferia toda". No refrão, o que ele quis realmente dizer para se coloicar frente aos problemas que a sociedade enfrenta. Música aliada a uma bela vóz mas pra mim reflete o que boa parte da sociedade pensa: F...quer dizer, dane-se que o meu eu to buscando nem que seja no Cartão especial. Aí vota errado, o processo continua e os intelectuais enxergam numa letrinha muuito da mixuruca uma bandeira gloriosa para agitar.Mas vale.Melhor que nada.Melhor que ficar em cima do muro.

HAMILTON BRITO... disse...

V O Z

Ventura Picasso disse...

Nao existe oposição ou situação, e muito menos, esquerda ou direita.
Isso "depende da posição social do individuo e da sua perspectiva" (perspectiva como ilusão de ótica), sou adepto do cubismo.

Marli Carmen disse...

é isso aí Rita!!!!


Olá...Sou escritora e estou sorteando meu livro no blog
Venha participar com a gente! Em Amazônia- um caminho para o sonho, o leitor conhecerá cinco personagens que vão acompanhá-lo durante toda a viagem. Vai se encantar com a beleza e exuberância de uma Amazônia tão brasileira! Apaixonar-se-á por Rafaela, a jovem aspirante a escritora, tímida e atraída pelo charmoso Tio de sua amiga. Poderá o amor se desenvolver até o final da viagem ou não passará de um sentimento platônico?
Amazônia- um livro que te fará se apaixonar pela Brasil e te levará a uma viagem inesquecível.
Tenho 2 blogs...mas aquele que estou acessando no momento é do meu livro:.
Bjs - A autora
http://amazoniaumcaminhoparaosonho.blogspot.com/

Rita Lavoyer disse...

Marli, bom-dia! Obrigada pela visita e pelo convite. Fui lá no seu espaço, mas não consegui publicar o meu comentário. Procurei o seu e-mail não o encontrei. Sinto muito.

Larissa Matarésio disse...

Ei tia, tive q criar um blog pra uma disciplina de jornalismo e colocar "seguir" no seu blog.
Beijos