CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

terça-feira, 5 de março de 2013

BÁRBIE, UMA BONECA UTILITÁRIA




 Dia 09 de março de 1959 foi o dia do lançamento da boneca Bárbie. Hoje, ela tem 54 anos.

Quando a criança de casa faz aniversário, nem emoção ela sente sabendo-se que ao abrir o presente encontrará a mesma coisa dentro de todos.

“ Essa eu já tenho, né mãe!” Essa, essa, essa, também!”

Em casa, quando pega pra brincar é uma cabeça para um lado, corpo para o outro, aqueles fiapos de cabelos loiros, ruivos, pretos brilhantes se amontoando no chão, que chega até enroscar nos pés da gente. Passar condicionador nos cabelos delas desembaraça. Mas... nem rastelo...

As Bárbies são bonecas que qualquer um pode tirar-lhes a cabeça e colocar em outro corpo. As partes são iguais, o material idem. O que as torna diferentes é a cor de cada uma. Se colocar uma cabeça ruiva num corpo negro, cabeça negra em corpo branco não faz diferença nenhuma. Lavar as roupinhas delas somente com escova de dente.

Enfim, vamos fazer uso dos objetos. Peguei um saco de lixo, enfie as magrelas dentro dele junto com outras gorduchas de pano e rumei pra escola para trabalhar com as crianças o valor do diálogo, do silêncio, do abraço e outros que foram surgindo no decorrer da dinâmica. Claro que as bonecas de pano, gordinhas, surtiram mais efeitos, atingindo o meu objetivo. Elas enchem os braços de qualquer criança. Além do mais, por mais que tentassem, não conseguiram arrancar-lhes as cabeças, eram fixas ao corpo. As crianças as abraçavam, trocando os seus cheirinhos de gente que cada uma trazia em si.

No que, de repente, uns menininhos se engraçaram com as Bárbies. Agarrando-a pela cabeça, um deles foi direto, mirando o olho do coleguinha com os pés da Bárbie. Se eu não separo a tempo aconteceria uma tragédia irreparável naquele momento. Muitas conclusões nós, crianças e eu, tiramos daquela aula. Bye, bye, Bárbie! Nunca mais!

É proibido dar brinquedos com motivos bélicos às crianças. Como dar Bárbies pode, cheguei em casa atônita.

_ Filha, vamos treinar. Traga sempre uma Bárbie ao seu alcance. Se você for surpreendida por um marginal qualquer enfie, sem dó e com toda a sua força, os pés dela no olho do bandido.

Os pezinhos delas são lâminas fatais. Você derruba o meliante e ainda corre pra galera. Jogamos esses sapatinhos de bicos redondos que elas têm. Passamos bastante fita adesiva no pescoço delas para não perderem as cabeças quando você for dar o seu golpe de defesa. Entendeu?

Agora poderemos parar no semáforo com os vidros abertos. Numa investida nós atacaremos de Barbie nos olhos dos atrevidos afinal, qual bandido terá medo de alguma coisa que até criança consegue manipular a cabeça?

Já que estão sobrando, vamos distribuir Bárbies para as avós. Deverão carregá-las uma em cada mão, para quando forem ao banco, receberem suas aposentadorias com segurança. Na intuição de estarem sendo perseguidas, nem precisa mirar. É só golpear para trás, qualquer lugar que o pé da boneca entrar o corte será profundo. Ainda que não seja mortal, o assaltante certamente não escapará de uma hemorragia.

Como eu sei que só tenho leitores gente boa, não corro o risco de passar essa informação tão preciosa às pessoas com segundas intenções. Assim sendo, faça bom uso dessa arma. Terá uma boneca em sua defesa e não correrá o risco de ser condenado por porte ilegal de arma.

Rita Lavoyer é membro da Cia dos blogueiros e UBE.

6 comentários:

Célia Rangel disse...

Rita! Será? BARBIE = defesa pessoal? Bem, só mesmo se for pra isso, pois cabeça boa está provado que não têm... Pernas pra que te quero... ahn... pra isso são ótimas? Na vertical ou na horizontal? Sim, pois conforme a posição, a força da massa muscular difere... Vou curtir minha boneca de pano... kkkk... no todo dia da mulher, pois Barbie jamais!!
Bjks, Célia.

Abilon Naves disse...

Muito bom, Rita!!!
Já tinha feito a leitura desse texto no jornal FR; mas, a releitura sempre é boa.
Gostei, em particular, da fina ironia (lhe passou desapercebida?) relacionada à infame campanha oficial e até mesmo reverberada por inocentes, contra a autodefesa, direito constitucional e inalienável de qualquer cidadão.
Parabéns.

GarçaReal disse...


Adorei este texto.
Está muitíssimo bem escrito e
lê-se óptimamente.

Foi uma boa escolha

Bjgrande do lago

Anônimo disse...

Boa!
Nada fica oculto para sempre!
Acabo de descobrir que o Brinquedo Assassino está
de namorada nova, a Barbie Pés Descalços!!!
Cuidado com a prole...
bjs Luza

Rita Lavoyer disse...

KKKKKKKKKKK

"do tipo assim" : 'vamos combinar' que a boneca era inútil, mas descobri que serve também para palitar dentes, coçar cabeça, além do mais os peitinhos dela parecem pregos.
Se os batermos na cabeça de alguém não causará traumatismo craniano, mas deixará o osso bem rachado KKKK
Daí pra pior !

Abilon,obrigada por essa 'fina ironia' sentida. Gostei!

ademar disse...

Oi Rita, estou me acostumando a ler os seus texto. Já havia lido este no jornal e reli agora. Como sempre eles me agradam muito.
Abraços