CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


quinta-feira, 7 de março de 2013

HINO À MULHER


           HINO À MULHER




           É pra Mulher!

           É pra Mulher!

           É pra Mulher!

           Que um povo heróico deve

           sempre que ganhar a luta

           entregar o seu troféu!

           Porque Mulher, foi caçada, mutilada,

           prisioneira, abandonada,

           só porque trouxe na vida

           o objeto da armada.             

 

            Só a Mulher!

           Só a Mulher!

           Só a Mulher!

           Não tendo o que dar aos filhos

           faz da palma das mãos o prato e o talher.

           Isso é Mulher! Isso é Mulher! Isso é Mulher!              
 

            Se apanha ela levanta!

            Se apanha ela levanta!

            E só levanta porque é uma Mulher.

           Isso é Mulher!  Isso é Mulher!  Isso é Mulher!

 

           Obra mais linda que Deus fez à flor da pele

           e que consegue carregar o fardo - dor e amor.

           Se Ele  assim a fez é porque  sabia

           que somente a Mulher poderia

           carregar todo esse esplendor.

 

            Mulher é isso e,    

           mesmo que  viva à margem,

            não importa a sua imagem.

           Qualquer hino à coragem

            plagiou uma mulher.
                                                          

 Escrevi em homenagem à minha mãe ,Dona Dirce, que apanho a vida inteira e nunca abandonou os filhos que o meu pai não quis cuidar: por acaso eu e meus irmãos.
               Rita Lavoyer

2 comentários:

Patrícia Bracale disse...

Vero

Anônimo disse...

esta é a Rita, Direta, sem rodeios, voce também é a MULHER! aí vai um acróstico para voce:

M axima em todas suas atitudes
U nica em seus gestos maternais
L eve como pluma qdo dita o amor
H oje amanhã e sempre
E mbala todos os corações
R edescobrindo a razão de viver
Marianice
Beijão Rita e que o dia seja feliz.