CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


segunda-feira, 11 de novembro de 2013

AMAR O FILHO DOS OUTROS

O garotinho Joaquim

AMAR O FILHO DOS OUTROS
Mãe, acha mesmo que um companheiro amará o seu filho mais do que você mesma?
Fico indignada com notícias sobre desaparecimento de crianças, ainda mais  de dentro da própria casa, como é o caso do menino Joaquim.
Quantos casos desses não foram noticiados e crianças perderam a vida por serem empecilhos no relacionamento do casal?
Mãe, acha mesmo que um companheiro amará o seu filho mais do que você mesma?
Quantas mães ajudaram no sumiço do próprio filho para manter ao seu lado o companheiro que não aceitava na casa o filho que não era dele?
Quem se esquece do caso Nardoni??
Mãe, acha mesmo que um companheiro amará o seu filho mais do que você mesma?
Cuidar dos nossos filhos não é tarefa fácil! Eles nos sugam, testando-nos  todos os instantes. Querem, pedem, fazem malcriações, insultam-nos e vamos contornando-nos dentro das adversidades que o nosso dia a dia nos proporciona, ensinando-os, mas aprendendo muito mais com os filhos quando conseguimos, juntos, resolver uma situação conflituosa.
Depois que retornamos ao nosso estado de equilíbrio o amor que sinto por eles vai aflorando, dando gosto e cor à minha vida. Minha respiração torna-se calma e eu preciso dizer-lhes que os amo.
Ainda, conhecendo a imensidão do meu amor por meus filhos, ele não alcança o tamanho do amor que o meu marido lhes tem. Fico impressionada todavia, segura por saber dele a firmeza necessária para conduzir um filho em formação.
Com relação aos nossos filhos, muitas vezes erramos por excesso de amor. Içami Tiba, o psiquiatra, diz que “quem ama educa”. Eu digo que : - quem ama em excesso deseduca na mesma proporção.
Embora  errando por amor, percebendo nossas falhas, ainda por amor vamos nos policiando: corrigindo-nos. São os nossos filhos; temos o dever de a eles darmos exemplos, orientando-os sobre o que é certo e errado para não prejudicarem nenhuma pessoa que cruzar seus caminhos.
Assim vamos nos esforçando. Educar filho é uma tarefa árdua, requer dedicação, por isso dá canseira.
Se os pais verdadeiros sentimos isso, imagine uma pessoa que não tem vínculo afetivo nenhum com uma criança com                 quem  mora, sob o mesmo teto, sendo filho de outro homem?
Mãe, acha mesmo que um companheiro amará o seu filho mais do que você mesma?
Mulher não é apenas mãe, e o ser mulher deve, sim, ser valorizado, mas muitas não estão pesando os prós e os contras quando da escolha de companheiros.
Mãe, acha mesmo que um companheiro amará o seu filho mais do que você mesma?
Sim, sei que há casos em que padrasto tornou-se o pai verdadeiro dos filhos da companheira, uma exceção que não devemos deixar de mencionar aqui. Mas, em se tratando do hedonismo dentro do qual  muitos machos e fêmeas vivem , submeter um filho à confiança de um dependente químico, que necessita de cocaína para se manter, vai mesmo respeitar a criança que é filho de outro homem?
Mãe, acha mesmo que um companheiro amará o seu filho mais do que você mesma?
Autoria Rita lavoyer

4 comentários:

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Amei o filho e o voo do passarinho (o poema anterior, que ainda não tinha lido). Parabéns, lúcida e inspirada Rita.

Helcio Almeida disse...

Você foi perfeita em descrever filhos e sua influência sobre os pais. Infelizmente ainda existem pessoas que são mães descartáveis. É triste mas é a realidade.

Célia Rangel disse...

Vivemos uma semana lamentável em emoções e conflitos, Rita! Difícil é perceber o "mascaramento" daqueles que deveriam ser "os protetores" diante das entrevistas e da justiça, essa deficitária com suas leis e penalidades retrógadas! Quantas crianças foram descartadas! O humano equiparado a lixo. A algo que não se quer mais! Rios, caçambas, malas, sacolas, vasos sanitários... e por ai vai... Ribeirão Preto está de luto!
Abraço.
Célia.

Rita Lavoyer disse...

Marcelo e Hélcio, muito obrigada pela participação aqui nesta postagem. Fico feliz pela presença de vocês.
Infelizmente, eu escrevia esta crônica com o coração apertado, visualizando a minha amiga Célia Rangel. Sei que ela acompanhou aturdida o desfecho desta tragédia, que aconteceu na cidade onde ela mora: Ribeirão Preto. Imagino a angústia de todos os moradores de Ribeirão Preto, embora seja uma dor universal que atinge quem não compactua com a barbárie. Meus sentimentos, Célia Rangel. Eu também estou de luto.