CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


sábado, 28 de dezembro de 2013

O ANO NÃO TERMINA, APENAS ENGATA NO OUTRO


 

Ainda há tempo para uma leitura antes de terminar este ano?
Comecei 2013 falando do ano da Serpente. Não fiz nenhuma profecia, não sou dada a vidente, também não farei retrospectiva, porque cada um lembra-se do que quer se lembrar,  mas sei que 2014, segundo o calendário chinês, é o ano do Cavalo, mais especificamente: Cavalo Madeira, da espécie que dispensa com facilidade o velho para consagrar o novo.

 Arri, égua! - que não é a fêmea do Cavalo neste calendário. A Mulher Cavalo, do calendário chinês, transborda vitalidade, enquanto que o Homem Cavalo é... é, proeminentemente, Cavalo mesmo: o sonho de algumas potras que, sugiro, devem continuar sonhando para continuarem existindo.

          E quem está cheinha de sonho é a “ Serpente de 2013”, seca de vontade de assumir seu lugar e mostrar sua potência, porque até agora ela regeu pouco, pela razão de ela carregar  no lombo a bagagem do seu anterior: 2012. Ela, a Serpente, descobre que terá função à noite do dia  31/12/2013, quando os ponteiros se unirem em cima do número 12 no relógio. Ela, a Serpente, é quem projetará o próximo ano: 2014- do Cavalo. Complicado? Explico:


A Serpente, durante ano de 2013, sonhou realizar-se, mas ela descobriu que o ano para o qual ela foi o signo, só tem sentido quando o novo chega, exatamente no momento em que parelham, embora os signos sejam diferentes, ela – a Serpente-  aprende que o novo não tem sentido sem carregar o recém terminado, porque há muito conteúdo dentro do ano que termina, que precisa ser concluído, entendendo que isso vai anos...

O fim de 2013 não é o primeiro nem o início de 2014 o último, é o anterior trocando a roupagem, mas carregando marcas das experiências que lhe correspondem, para vestir outra mais leve, que aqueça os ânimos da mesma bagagem que ganha, dia a dia, uma nova lição praticada pelas civilizações que nasceram de outras.

  Portanto, Cavalo, enquanto dirigente, não dispense com facilidade o velho, o 2013- da Serpente-, para consagrar o novo porque, enquanto Ano Novo, você  toma como seu os resultados dos esforços que brotaram  no passado, aqui, na figura da Serpente.

Não dispense o passado, Cavalo de 2014, pois está nele a base de sustento do seu conteúdo; embora futuro, você nasce primitivo. Você se civilizará no seu próprio tempo, que não demora muito- passa, como recompensa da união das forças de vontade: oportunidade para tornar-se cauteloso e discernido.

 Cavalo, os anos regidos por você propiciam ações assim, são agressivos. Agora aguenta, Cavalo, porque a Serpente vai engatar em você.
 Todo nascimento causa dor. Não adianta dar coices, gritar, que ninguém irá ouvi-lo.  Pode vir de quatro que ela já o aguarda de pé, para fazer os fogos de artifícios, com seus brilhos e sons estridentes, virarem metáforas, exatamente quando os ponteiros unirem-se.

 
Vai aguentar, 2014 – ano do Cavalo. Todos os outros anos também nasceram novos e viveram boas e más investidas para você poder chegar até aqui.

 Liga não, 2014 – Ano do Cavalo! Dentro de um ano você descarregará no seu sucessor o que não conseguiu resolver dentro de você mesmo.

Assim caminham as civilizações. Tomara, ninguém caia do cavalo. Mas se isso acontecer, que não perca de vista a Luz silenciosa do Criador que, desde Sua existência, nunca mudou de forma, nem de força,  tampouco  de signo.  
Autoria – Rita Lavoyer

4 comentários:

Célia Rangel disse...

Como do signo do "GALO"... estou arriando meu CAVALO com muito cuidado para não levar coice algum!
Feliz 2014, Rita!
Beijo.
Célia.

Helcio Almeida disse...

Não entendo de signos mas fiquei impressionado com o cavalo carregando a serpente. Aí entendi porque mesmo mudando o ano, carrego sempre os problemas de um ano para o outro. Já sei! Sou um cavalo e os problemas a serpente. Aguarde para muito breve o meu relincho.
Beijo
Helcio

Rita Lavoyer disse...

Bom-dia, Célia! Isso aí, prepare as esporas que a cobra vai fumar !! kkkk

Um 2014 cheinho de realizações e união na sua família!

Deus a abençõe sempre!

Rita Lavoyer disse...

Oi, Hélcio!

Nunca vamos nos desfazer do que passou, principalmente das experiências. Mudam-se os dias, as páginas dos calendários...
se não carregarmos o que iniciamos lá atrás, que base teremos ali na frente??

Um feliz 2014 para você e toda a sua família, com muita união.


Deus o abençõe.