CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


domingo, 16 de agosto de 2015

MEUS BENFEITORES AMIGOS

O meu Homenageado , do meu dia 01/08/2015, é o Brother. Ele: O Poeta das Multidões, Heitor Henrique Ribeiro Gomes
Não sei se posso considera-lo “benfeitor”, para ele fica mais adequado “malfeitor”, ou benHeitor.
Eu o conheci numa Oficina de Poesia, dali fui para o Grupo Experimental onde, também com ele, pude encontrar-me com outras pessoas, cada qual ao seu modo, mas todos com conteúdos que me puderam acrescentar conhecimentos.
Adepto da autoajuda, especialmente de Paulo Coelho, carrega no chaveiro pés de Paulo Coelho; da cartola – tal qual um mágico – retira o Paulo Coelho. Na Páscoa, o seu ovo de chocolate vem no formato de Paulo Coelho. O seu prato principal é Paulo Coelho. Não adianta enganá-lo, mesmo assado ele distingue o Coelho de uma lebre qualquer.
Não sei por qual razão ele traz os dedos cheios de anéis com motivos de caveiras. 
O Heitor é excelente vendedor de Quiboa, mas não vende a sua arte escrita tão bem como deveria. Não sabe ele o quanto tem leitores ávidos por lê-lo. 
Sou fã dos escritos dele. É autêntico, muito original mesmo no trato com a sua sagrada ‘bochecha”. A sua “Mãe na Zona” nasceu para ser sucesso de bilheteria.
Por causa da sua audácia na escrita, sangraram-lhe as letras. Não sei por qual razão ele adormeceu sua ousadia literária: tão ímpar, tão atrevidamente importunadora aos conceitos pudicos.
Não aprendeste, Heitor, com o teu mestre, que a “vida de uma pessoa livre é considerada ofensiva para todos que vivem presos às aparências e regras”?
Em qual lugar, Heitor, abandonaste o teu pão literário, condenando à inanição os leitores famintos das pornografias tuas? Não sabes, Heitor, que a tua devassidão será abençoada?
Vai lá, na Margem do Rio Piedra, Heitor, retira de lá os teus escritos, as tuas Vaslkírias ...
Heitor não é um mago, mas poderia nos presentear, seus Brothers, com um diário seu, bem ao seu estilo, tão próprio, tão Heitor.
Heitor, meu Brother, a Patrícia e a Giovana são graças na tua vida.
Amém?
Amém!
Aquele abraço, Brother! 
Por Rita Lavoyer.
 --------------------------------------------------------------------------------------------------------------
   
Ágatha Urzedo
A minha homenagem à
BENFEITORA do meu dia 26/07/2015 é ela: a Agathinha. 
Sabe aquela pessoa que só de olha nos dá água na boca?
De onde vem tanta candura, tanto carisma, tanta ternura?
Como consegue, o tempo todo, manter-se atenciosa, sorridente? Ser da paz, ser da luz, ser da luta, ser amiga da gente? 
Os seus companheiros, sobre os quais derrama o seu sorriso, são trazidos para o seu plano e, vanguardeiros, portadores de saberes e visões para o bem, de peito aberto, abrem clareiras e preparam terreno para as novas gerações que o mundo aguarda. Amigos assim não é qualquer um que tem. Também, são amigos da Ágatha! Querem coisa mio de boa, sô? 
Ágatha é uma mulher que tive o prazer de conhecer no Jornal Folha da Região. Simpática e acolhedora tem energia que atrai gente boa. 
Seus filhotes: Valentina e Amodôvar devem passar muito bem alimentados, penso que Ágatha só pensa em comida. Não tem fotos onde ela não apareça comendo e bebendo. Deduz-se que comida e bebida fazem bem à alma, pois vive sorrindo junto aos seus. 
Aquele cabelo de ovelha que ela tem deve dar um trabalho danado para tosquiar. Mas ela está sempre muito bonitinha com seus cachos enfeitando-lhe o rosto belo e jovial. 
Ela anda, ela desfila apresentando sua grandeza nas passarelas da vida. 
Ágatha Urzedo expressa vida. Ela gosta de viver e não vive somente para si. Seus amigos experimentam muito bem essa virtude que ela traz em abundância. Esse predicado faz com que a Ágatha constitua obras que são influências de sua alma, assim: boa e pura.
Ela é peça importante e necessária à máquina que produz harmonia e bem estar aos ambientes que têm a graça de abrigá-la. 
Ágatha, seja divina sempre, aproveitando e distribuindo a todos que a conhecemos os dons que Deus lhe deu. 
Um beijo, Agathinha lindona! 
Por Rita lavoyer


Nenhum comentário: