CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

SÍNDROME DE PICA





  - Pica! Pica!   Acorda aí, Pica-Pau!

  - Pô, Pica-Aço, só porque implantou essa prótese de aço neste teu bico velho acha que pode martelar  meu buraco, logo cedo, e  atrapalhar o meu sono?  

  Uma Rolinha, que  dormia  num galho mais  baixo da mesma árvore, despertou. Enquanto isso, um Quero-Quero ciscava entre o capim-gordura  e uma multidão  preparava-se para iniciar o frenético ritual do amanhecer.

  - Pica-Pau, estou velho, mas não morto. Esta prótese de aço me deixa potente. Martelo em árvore dura  e meu bico não quebra. sabemos que cada um de nós escolhe ─ a vida faz a gente escolher ─ alguma das datas em que a gente nunca vai esquecer dessa data”. Aliás, quanto mais eu bico, digo: martelo,  mais meu topete fica vermelho.

  -  Pica-Aço, esse penacho que temos chama-se carapina.

  - Não tenho carapina. Quem tem isso  é Saci-Pererê. Sou espécie para  ser unípede? Quanto ao vermelho, foram-se os tempos, agora o meu topete é grisalho. Com esse meu look  sedutor e esta minha prótese  não fico em jejum.

  A Rolinha, despertada pela conversa, subiu mais um pouco para ouvir  melhor.

  - Hum... tem comido o quê, Pica-Aço?

  - Não coloco meta pra isso: "Não vamos colocar meta. Vamos deixar a meta aberta, mas, quando atingirmos a meta, vamos dobrar a meta.” Eita, bicho fujão é tatu! Eu voei em um, deixando-o  encurralado. Quando eu ia bicar a cabeça dele, ele se escondeu naquela carapaça e, se meu bico não fosse de aço, hoje teria que me alimentar com canudinho.  Pica-Pau, estou bicando bichos que nunca tinha bicado. “Os bodes, eu não lembro qual é o nome, mas teve um prefeito… teve o prefeito de Tejuçuoca e me disse assim”. Você sabia, Pica-Pau, que nós também somos chamados de “ipecu”?

  A Rolinha subiu mais um pouco para ouvir a conversa.  

  - Pica-Pau, já estou cansado de ser espécie solitária. Você, que ainda é  jovem e tem  língua boa que o ajuda na caça de insetos,  não sabe o que é ser um Pica velho. Esse aço no meu bico chama a atenção, algumas espécies ficam  hipnotizadas com ele, facilitam  minhas refeições. Não tenho nada a perder. Não acho que quem ganhar ou quem perder, nem quem ganhar nem perder, vai ganhar ou perder. Vai todo mundo perder”.   Estou comendo qualquer coisa.

  - Pica-Aço, esse bico afetou-lhe o cérebro! Desenvolveu a “síndrome de pica” – comer o que não é comestível, associada também às síndromes do “sotaque estrangeiro” - falar, de repente, uma língua desconhecida, como o presidentês, por exemplo;  e  da “mão alienígena” que, à força, arranca o que é dos outros e come.  Saia dessa era de Pica erectus, já  estamos na era dos Pica sapiens!

  - KKKK – peraí, Pica-Pau! Vou ali morrer de rir!

  Pica-Aço pôs a cabeça para fora, viu a Rolinha se escondendo entre as folhas... Precisou da ajuda do Pica-Pau para desengasgar-se com a Rolinha,  que morreu por ser curiosa.

  - Pica-Aço!? Você virou um picanibal !??

  - Ah, o amigo fala em Pica sapiens? Eu vi. Você, veja... Eu já vi, parei de ver. Voltei a ver, e acho que o Neymar e o Ganso têm essa capacidade de fazer a gente olhar” .  Veja lá embaixo, aquela multidão praticando o ritual da “saudação da mandioca”! Nem as Antalopithecus faziam isso! Chama a isso Sapiens, Pica-Pau? Fossem sábias ralavam, picavam, comiam a mandioca. Olhe aquele Quero-Quero entre o capim gordura, confessou-me que quer ir ao Rio de Janeiro, acha que  chegará à espécie habilis e conseguir ferramentas e realizar o que de fato ele quer?   Sou Pica erectus? Você  está  com inveja porque a minha prótese de aço é a evolução   da espécie dos Pica-Paus. “aliás isso é de um outro europeu, Montesquieu. É de um outro europeu muito importante, junto com Monet E você, é um Pica-Pau de que era, seu picofóbico?

  _ Acho que ainda sou um Picandertal, descendente dos Picaerectus. Não  tenho certeza!

  - “Não posso ser responsabilizada pelo que faz o filho ou parente de alguém.” – balbucionou Pica-Aço que, dando uma rasante e falando um idioma presidenciável, atacou, com sua mão alienígena, sequestrando,  o Quero-Quero, garantindo levá-lo ao Rio a cidade mais importante do mundo e da galáxia. Por que da galáxia? Porque a galáxia é o Rio de Janeiro. A Via Láctea é fichinha...”  e o engoliu.

   Assustado com a cena, o Pica-Pau saltou e, juntando-se à multidão, foi saudar a mandioca.

 autoria- Rita Lavoyer



4 comentários:

Ventura Picasso disse...

Olá Rita - conto fantástico, muito bom - você não perde por esperar, um dia, ainda que distante, você há de cair no bico de um Bem-te-vi...Abração!

Jorge Sader Filho disse...

É tanta opção, ora passarinho, ora dobra a meta, entra, pica onde não deve, que fico com medo desta entidade. Vou saindo da reta, Rita!.
Abração

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Taí uma verdadeira orgia político-sexual! Rita, sua anárquica, que desrespeito à nossa valorosa, bem articulada e coerente presidenta! Rsrsrsrs

Rita Lavoyer disse...

PicASSO, releve as meras coincidências. Tomara que o Bem-te-vi me procure. Tenho tanto a falar com ele...

Que entidade, Jorge???????? Isso é encosto brabo !!

Marcelo, se essa virobilose presidencial pegar, Babel que se cuide!