CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba.

2016 - Classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras.

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classifica no TOP 35 na 4ª semana de abril de microconto Escambau.

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.


domingo, 15 de novembro de 2015

E agora ??

http://www.sitearacruz.com.br/noticia/368

E agora, José? 
O rio acabou, a cidade acabou, o povo acabou...
E o futuro, José?
O que esperar do futuro 
cuja lama insana do homem
é o presente a este povo refém.
E agora, José?
Que indenização recuperará
a natureza embalada
no berço da morte?
E agora, José?
O homem rompeu a genética 
contida no cromossomo da terra.
E agora, José?
Esperar o quê dessa química
que desestrutura as moléculas dos DNAs?
Quanto tempo, José?
Quanto tempo o Planeta haverá de esperar
para que os cruzamentos das espécies
deformadas nesta tragédia

voltem a ser saudáveis a humanidade?
José, por que não me responde, José?
Não ouço sua voz.
Sua voz, José, está sob a lama?
(Rita Lavoyer)


4 comentários:

Célia Rangel disse...

Vozes, sonhos, pessoas enterradas na lama química... A ganância pelo lucro líquido, que também se enlameou, superando as "vozes de muitos Josés"!
Abraço.

Rita Lavoyer disse...

Obrigada, Célia, pelo conforto que me traz sua participação aqui.

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Uma barbárie sócio-ecológica em pleno século 21... sem mais.

Rita Lavoyer disse...

E agora, Marcelo? Há dinheiro que pague esse crime ambiental??