CLASSIFICAÇÕES EM CONCURSOS LITERÁRIOS

PREMIAÇÕES LITERÁRIAS

2007 - 1ª colocada no Concurso de poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras, com a poesia O FILME;

2010 - Menção Honrosa no Concurso Nacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2012 - 2ª classificada no Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2014 – Menção honrosa Concurso Internacional de Contos Cidade de Araçatuba;

2015 – Menção honrosa no V Concurso Nacional de Contos cidade de Lins;

2015 - PRIMEIRA CLASSIFICADA no 26º Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, Toledo-PR;

2015 - Recebeu voto de aplausos pela Câmara Municipal de Araçatuba;

2016 – 2ª classificada no Concurso Nacional de contos Cidade de Araçatuba;

2016 - classificada no X CLIPP - concurso literário de Presidente Prudente Ruth Campos, categoria poesia, com o poema AS TUAS MÃOS.

2016 - 3ª classificada na AFEMIL- Concurso Nacional de crônicas da Academia Feminina Mineira de Letras, com a crônica PLANETA MULHER;

2012 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - Recebeu o troféu Odete Costa na categoria Literatura

2017 - 13ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de abril de microconto Escambau;

2017 - Classificada no 7º Concurso de microconto de humor de Piracicaba.

2017 - 24ª classificada no TOP 35, na 2ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 15ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de outubro de microconto Escambau;

2017 - 1ª classificada no concurso de Poesia "Osmair Zanardi", promovido pela Academia Araçatubense de Letras, com a poesia PERMITA-SE;

2017 - 11ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de outubro de microconto Escambau;

2018 - 24ª classificada no TOP 35, na 3ª semana de janeiro de microconto Escambau;

2018 - Menção honrosa na 4ª edição da Revista Inversos, maio/ com o tema Crianças da África - Poesia classificada BORBOLETAS AFRICANAS ;

2018 - 31ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de janeiro de microconto Escambau;

2018 - 32ª classificada no TOP 35, na 4ª semana de janeiro de microconto Escambau;

2018 - 5ª classificada no TOP 7, na 1ª semana de junho de microconto Escambau;

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Português: a Língua com a qual me interpreto

Português: a Língua com a qual me interpreto -
Rita Lavoyer


As cinzas da minha Língua
queimam minha língua
tão brasileiramente Portuguesa.

Com ela aprendi o be-a-ba
para expressar-me sobre os registros que nela há.
Minha Língua Portuguesa vira cinzas,
ainda que não queira,
mas renasce dos próprios signos exultante
em seus significados, em seus significantes.

Minha Língua sofreu queimadura de grau superlativo.
Todavia Ela não estabeleceu vínculo de inferioridade
numa relação comparativa com o fogo .
Opondo-se a ele, apresenta-se
no seu grau absoluto de superioridade
para cuja analogia não cabe relativa comparação:
porque ela vibra, é viva e tem ardor.
Suas chamas são culturalmente figurativas.

Minha Língua Portuguesa é uma língua analítica. 
Extremamente absoluta.

Em síntese: Minha Língua Portuguesa é riquíssima,
Sou-lhe fidelíssima. 

Se choro em Português, sonho e rio também em Português:
- A Língua com a qual me interpreto. 



4 comentários:

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Bela homenagem. Pena ter sido inspirada por tão horrível tragédia. Um abraço, Rita.

Rita Lavoyer disse...

Muito triste mesmo, Marcelo!

Jô do Recanto das Letras disse...

Que declaração de amor inusitada, fremente, delirante, luminosa! Esplendor de mil auroras, menina Rita!

Rita Lavoyer disse...

Que delícia de comentário, Jô do Recanto das Letras. Muito obrigada!